Bovespa acentua queda nesta tarde, pressionada pela Petrobrás

nayarasampaio

31 de julho de 2012 | 15h06

Com informações da Agência Estado

SÃO PAULO – A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) intensificou a queda na tarde desta terça-feira, seguindo o movimento das praças financeiras internacionais, e também pressionada pela queda nas ações da Petrobrás. Com este movimento, a Bolsa interrompe uma sequencia de três altas consecutivas, período em que acumulou ganho de quase 9%.

Por volta das 14h40, o Ibovespa recuava 1,52%, aos 56.372 pontos. Na mínima do dia, o índice da bolsa paulista chegou a ceder 1,90%.

As ações ordinárias da TIM lideravam, no mesmo horário, o ranking de maiores quedas do Ibovespa, com recuo de 5,62%. Já Petrobrás ON aparecia em segundo lugar, com desvalorização de 4%, enquanto a PN recuava 3,30%.

No mercado de câmbio, o dólar operava em alta de 0,44%, cotado a R$ 2,049.

Em Nova York, as principais praças financeiras também operam em queda, mas com perdas menos intensas. Dow Jones cai 0,28%, Nasdaq está estável e S&P 500 tem desvalorização de 0,24%.

Mais cedo, as bolsas europeias também encerraram com perdas pressionadas por balanços ruins e por investidores evitando tomar posições antes das reuniões de política monetária nos EUA e Europa.

O Federal Reserve, o BC norte-americano, começa nesta terça e conclui na quarta sua reunião para revisar juros. Os investidores querem saber se o Fed anunciará uma nova rodada de compra de títulos numa tentativa de estimular a economia dos EUA, cuja recuperação tem sido cambaleante.

Na quinta-feira, será a vez do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) fazerem seus anúncios de política monetária.

Tudo o que sabemos sobre:

Bovespa; bolsas; mercados; ações

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.