Bovespa segue NY e reduz ganhos no final após comunicado do BC dos EUA

Bianca Pinto Lima

13 de dezembro de 2011 | 18h34

Claudia Violante, da Agência Estado

A Bovespa perdeu, a minutos do final, praticamente todo o ganho amealhado durante a sessão, ao acompanhar o comportamento das bolsas norte-americanas após o fim da reunião do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos). O fato de a autoridade monetária não ter feito nenhuma mudança nas taxas de juros prejudicou o humor e puxou ordens de vendas, aqui mais contidas.

O Ibovespa terminou a terça-feira com alta de 0,26%, aos 57.494,85 pontos. Na mínima, registrou 57.333 pontos (-0,02%) e, na máxima, 58.153 pontos (+1,41%). No mês, acumula ganho de 1,09% e, no ano, perda de 17,04%.

As bolsas norte-americanas conseguiram se manter em alta praticamente toda a sessão, mas o resultado do encontro do Fed foi o divisor de águas. Às 18h30, Dow Jones recuava 0,61%, S&P 500 caía 1%, na mínima do dia, e Nasdaq cedia 1,38%.

Havia expectativa de corte da taxa de redesconto e também de mais recursos, o que não aconteceu, frustrando os agentes. O Fed manteve inalterada a taxa básica de juros em 0,25% ao ano e a taxa de redesconto em 0,75%.

Antes de serem abatidas, as bolsas subiam influenciadas pelos leilões de títulos de países como Espanha e Bélgica. Mas as declarações da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, que rejeitou o aumento do limite do Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM), atualmente de 500 bilhões de euros, pesou, assim como a revisão para baixo, feita pela Fitch, dos ratings da Bulgária, República Checa, Letônia e Lituânia de positiva para estável.

Na Nymex, o contrato do petróleo para janeiro subiu 2,42%, a US$ 100,14 o barril. Aqui, Petrobrás ON subiu 0,25%, Petrobrás PN, estável, Vale ON, -0,15%, e Vale PNA, +0,03%.

Tudo o que sabemos sobre:

Bovespa; bolsas; mercados; ações

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.