Bovespa aprofunda perda para 1,27% e fecha na mínima

Bianca Pinto Lima

20 de setembro de 2011 | 17h29

Após abrir em leve alta e instável, a Bovespa intensificou as perdas nos momentos finais do pregão e fechou em queda de 1,27%, aos 56.378 pontos, na mínima do dia. Em Nova York, os principais índices acionários também desaceleram os ganhos próximo ao fim dos negócios e encerraram com sinais mistos. Dow Jones subiu 0,07%, S&P 500 cedeu 0,17% e Nasdaq perdeu 0,86%.

No mercado de câmbio, o dólar voltou a fechar em alta, de 1,13%, a R$ 1,7940. Trata-se da maior cotação desde 1/7/2010, quando atingiu R$ 1,7950.

“A Bovespa tem trabalhado com sinais bem divergentes do mercado externo”, destaca o operador da mesa institucional da corretora Renascença, Luiz Roberto Monteiro. Mais cedo, as bolsas europeias fecharam na contramão do Ibovespa com a esperança de que a Grécia consiga a nova rodada de financiamento e de que o Banco Central dos Estados Unidos, o Fed, anuncie estímulos à economia. Londres subiu 1,98%, Frankfurt ganhou 2,88% e Paris teve alta de 1,5%.

O Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed começou hoje uma reunião de dois dias, na qual deve discutir a implementação de novas medidas monetárias.

Em relatório, a corretora Cruzeiro do Sul afirma que mesmo que o Fed aja e a Grécia consiga efetivar seu plano, o mercado já precifica uma sensível piora na questão europeia. “A moratória grega é dada como certa e até almejada por parte dos investidores e cresce a possibilidade de que isso possa ocorrer entre outros países”, destaca o documento.

Nesta terça, a Grécia prometeu mais cortes em seu setor público e teve a segunda teleconferência em dois dias com instituições internacionais de empréstimos para tentar conseguir novos financiamentos.

Vale sobe, mas construção civil e siderurgia pesam

Na lista de maiores baixas do Ibovespa, os primeiros lugares ficaram com as incorporadoras Brookfield (-7,22%) e PDG Realty (-6,79%), além do frigorífico Marfrig (-6,75%).

Já o papel ON da siderúrgica CSN perdeu 2,45%, enquanto a Gerdau ON teve queda de 2,65%. A mineradora Vale ganhou 0,96% na ação PNA e 1,01% na ON. Petrobrás ON, por sua vez, perdeu 1,13% e PN cedeu 0,91%, ajudando a puxar para baixo o Ibovespa.

“A queda no índice de metais lá fora tem ligação direta com o recuo nas ações das empresas de siderurgia na Bovespa. No caso da construção civil, corretoras ligadas a grupos estrangeiros foram destaque na venda desses papéis hoje. Já a Vale subiu em função da valorização do dólar, uma vez que é exportadora”, explica Monteiro.

Leia tudo sobre os mercados financeiros e a crise econômica nos Estados Unidos e Europa.

Tudo o que sabemos sobre:

Bovespa; bolsas; mercados; ações

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.