Bovespa cai pelo 3º dia e acumula queda de 4,89% no período

Estadão

24 de julho de 2012 | 17h41

Alessandra Taraborelli, da Agência Estado

SÃO PAULO – A Bovespa acompanhou o mau humor generalizado e registrou o terceiro dia seguido de queda, de volta aos 52 mil pontos, nível que não atingia no fechamento desde 28 de junho. Mais uma vez, Espanha e Grécia voltaram ao foco das atenções, desde ontem, após surgirem dúvidas sobre as condições de solvência dos dois países. Para ajudar, dados opostos sobre a atividade dos EUA fizeram crescer os temores sobre o ritmo da desaceleração da economia norte-americana. Internamente, a queda de quase 5% das ações da Vale contribuiu para a performance negativa da Bolsa.

Com isso, o Ibovespa encerrou com declínio de 0,75%, aos 52.638,63 pontos. Na mínima, atingiu 52.399 pontos (-1,20%) e, na máxima, 53.416 pontos (+0,72%). Nos três dias seguidos de queda a Bolsa acumulou perda de 4,89%. No mês, o declínio é de 3,16% e, no ano, de 7,25%. O giro financeiro hoje ficou em R$ 6,003 bilhões. Os dados são preliminares.

Para o gestor de investimento da corretora H.H. Picchioni, Paulo Amantéa, os investidores têm impedido a Bolsa de romper um importante suporte, os 52.300 pontos, porque temem que se isso ocorrer a Bolsa irá até os 47 mil pontos. Por outro lado, Amantéa lembra que está muito difícil a Bolsa superar os 57.700 mil pontos, nível considerado teto pelo mercado.
“Quando romper o piso irá facilmente para os 47 mil pontos. O investidor está se preparando para uma forte queda que, quando acontecer, será de forma rápida aos 47 mil pontos”, disse.

Entre as ações, a Vale apresentou performance negativa, puxada pelo dado da China e também pela queda de alguns metais. Logo cedo, foi informado o PMI preliminar de julho da China, que subiu, mas ainda se encontra em cenário de retração, o que afeta diretamente o setor de commodities, principalmente o de minério de ferro. Além disso, a saída do diretor financeiro da minerador, Tito Martins, dividiu as opiniões dos investidores. Outro argumento usado hoje para explicar a queda foi a expectativa com o balanço da empresa que será divulgado amanhã. Com isso, o papel ON caiu 4,88% e o PNA perdeu 4,69%.

Petrobrás também caiu, mas em menor proporção. A ação ON caiu 0,77% e a PN, -0,90%.

Itaú, que divulgou balanço hoje, fechou com alta de 3,39%.

Em Nova York, o índice Dow Jones perdeu 0,62%, o S&P 500 caiu 0,90% e o Nasdaq, – 0,94%.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.