Bovespa opera em queda de 1% e dólar fecha em R$ 1,7640

Bianca Pinto Lima

25 de outubro de 2011 | 16h45

A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) se mantém no terreno negativo nesta tarde, devolvendo parte dos ganhos de segunda-feira. Além da realização dos lucros, o mercado doméstico é influenciado pelo nervosismo que domina as praças financeiras internacionais na véspera da reunião de líderes da zona do euro. A cúpula poderá resultar em um plano para enfrentar a crise da dívida do bloco, mas ainda há muitas dúvidas sobre se haverá um consenso.

“A Bovespa seguiu principalmente os EUA, que exageraram na reação a dados positivos da China”, disse mais cedo o operador de mesa institucional da Renascença, Luiz Roberto Monteiro. O dado deu ânimo às commodities e às empresas ligadas a elas no pregão de ontem. “Acho que foi uma valorização exagerada. O mercado tende a não sustentar essa alta”, avaliou.

Neste momento, o Ibovespa recua 1,03%, aos 56.307 pontos. No mercado de câmbio, o dólar fechou cotado a R$ 1,7640, em alta de 0,63%. Em Nova York, os sinais negativos se repetem: Dow Jones cede 1,22%, S&P 500 desvaloriza-se 1,47% e Nasdaq, termômetro do setor de tecnologia, perde 1,81%.

O encontro de chefes de Estado da União Europeia deve ocorrer na tarde de quarta-feira. O pacote poderá ter três elementos: a recapitalização dos bancos europeus, a reestruturação da dívida da Grécia e a alavancagem de 440 bilhões de euros do fundo de resgate da zona do euro. O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, disse hoje estar confiante com um resultado bem-sucedido do encontro de amanhã.

O ministro de Finanças da Holanda, Jan Kees de Jager, minimizou, contudo, as esperanças com a reunião em Bruxelas. Segundo ele, as negociações estão em uma fase crucial, mas uma decisão final pode não ser obtida no encontro de amanhã.

Além da expectativa com a Europa, as bolsas dos Estados Unidos reagem a dados negativos sobre os preços de imóveis no país, que mostram que o mercado imobiliário norte-americano segue fraco. Os valores dos imóveis subiram 0,2% em agosto ante julho, mas caíram 3,8% na comparação com o mesmo mês de 2010.

Mais cedo, as praças financeiras europeias também fecharam no vermelho. O índice pan-europeu Europe 600 caiu 0,7%, para 240,29 pontos, após subir 1,3% na sessão anterior. As ações de bancos tiveram perdas, com BNP Paribas e Société Générale caindo ambos 3,8% em Paris, UniCredit recuando 3,4% em Milão e Barclays cedendo 3,6% em Londres.

Na Alemanha, o índice DAX 30 caiu 0,14%, a 6.046,75 pontos. O índice FTSE 100, da Bolsa de Londres, caiu 0,41%, a 5.525,54 pontos. Já na França, o índice CAC-40 caiu 1,43%, para 3.174,29 pontos.

(Com Agência Estado)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: