Bovespa oscila em dia de vencimento de opções; Bolsas da Europa e Nova York sobem

Bianca Pinto Lima

19 de dezembro de 2011 | 13h55

Agência Estado

Após abrir em alta, a Bolsa de Valores de São Paulo ( Bovespa) inverteu o movimento e passou a operar em queda pressionada pelo vencimento nesta segunda-feira das opções sobre ações. Às 13h45, o Ibovespa voltava a aprofundar as perdas e operava em queda de 0,37%, aos 55.888 pontos.

No exterior, as praças financeiras vão na contramão e registram leves ganhos. Em Nova York, Dow Jones sobe 0,21%, S&P 500 tem alta de 0,04% e Nasdaq valoriza-se 0,20%.

Já na Europa, Madri sobe 1,02%, Frankfurt ganha 0,10%, Paris tem valorização de 0,38% e Milão sobe 0,44%. Já Londres opera em queda e recua 0,27%.

Nos mercados internacionais, os investidores operam na expectativa por mais uma reunião entre ministros da zona do euro, na qual serão discutidos um aumento no poder de fogo do Fundo Monetário Internacional (FMI) para fazer empréstimos para países europeus debilitados e a implementação do tratado fiscal na região.

O ex-diretor-gerente do Fundo Dominique Strauss-Kahn disse hoje, durante seminário em Pequim, que os bancos europeus precisam ser recapitalizados e que a solução está menos em um aperto fiscal agressivo demais e mais em focar no desenvolvimento econômico e no crescimento.

As bolsas também digerem nesta segunda a notícia da morte do ditador norte-coreano Kim Jong II. Mesmo assim, os índices de ações se mantém no positivo.

Nos Estados Unidos, as atenções se voltam para a votação da extensão dos cortes de impostos em folha de pagamento. Os congressistas republicanos na Câmara de Representantes devem votar contra a extensão dos benefícios por mais dois meses, ao contrário do Senado, que havia votado a favor. O alívio fiscal expira no dia 1º de janeiro.  O porta-voz da Câmara, John Boehner, defende a extensão por mais um ano, mas será difícil chegar a um consenso.

Já a Bovespa segue em indefinição no curto prazo, após ter perdido a reta de suporte. Segundo análise gráfica da Itaú Corretora, o Ibovespa tem suporte em 56 mil pontos e, abaixo deste, deverá encontrar espaço para seguir em direção ao importante suporte no fundo anterior, em 54,5 mil pontos. Do outro lado, para ter chance de recuperação da alta, o Ibovespa precisa passar da resistência em 57,5 mil pontos.

Tudo o que sabemos sobre:

Bovespa; bolsas; mercados; ações

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.