finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Custo do seguro da dívida de países da Europa aumenta

Estadão

31 de outubro de 2011 | 10h40

O custo do seguro da dívida europeia contra default aumentou nesta manhã, depois de o entusiasmo da semana passada dar lugar a dúvidas sobre se o plano anunciado na semana passada pelos líderes europeus resolverá a crise de da zona do euro.

O spread (prêmio) dos swaps de default de crédito (CDS) da Itália aumentou significativamente, enquanto o yield (retorno ao investidor) dos bônus de 10 anos do país superou 6%. Um leilão de bônus fraco realizado na sexta-feira – no qual a Itália vendeu menos do que o esperado e pagou yield mais alto – também preocupou os investidores.

“Muitos investidores podem estar relutantes em comprar dívida italiana agora se, da perspectiva do crédito, eles poderão comprar a mesma coisa com garantia da EFSF em um mês ou dois”, afirmou Gary Jenkins, diretor de pesquisa em renda fixa da Evolution Securities, em referência à Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês).

Pouco antes das 9h (de Brasília), o spread dos CDS de cinco anos da Itália subia 28 pontos-base, para 430 pontos-base, de acordo com a Markit. O spread do CDS de cinco anos da Espanha avançava 17 pontos-base, para 332 pontos-base. Mesmo os países centrais tinham alta no CDS, como a França, cujo spread do CDS de cinco anos subia 16 pontos-base, para 173 pontos-base. As informações são da Dow Jones.

(Danielle Chaves, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:

cdscusto do segurodívidaeuropa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.