Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Dólar cai abaixo de 75,78 ienes, menor nível desde 2ª Guerra Mundial

Estadão

25 de outubro de 2011 | 13h05

Uma ampla aversão ao risco fez com que o iene atingisse uma nova máxima desde a Segunda Guerra Mundial diante do dólar. O movimento mostra a reação dos investidores às dúvidas sobre o resultado da cúpula da União Europeia de amanhã e ao dado sobre a confiança do consumidor dos EUA.

Apesar dos alertas do governo do Japão de que vai tomar uma “ação decisiva” para conter a alta do iene, os receios sobre a crise de dívida europeia provocou uma onda de compras de ienes que derrubou o dólar para 75,74 ienes. O euro chegou a cair para 105,32 ienes.

O Conference Board informou que o índice de confiança do consumidor norte-americano caiu fortemente em outubro, para níveis normalmente vistos em períodos de recessão. O indicador alimentou especulações de que o Federal Reserve pode implementar uma nova rodada afrouxamento quantitativo para estimular a economia dos EUA, o que diminui a atratividade do dólar.

Às 12h55 (de Brasília), o dólar caía para 75,84 ienes, de 76,09 ienes no fim da tarde de ontem, e o euro recuava para 105,46 ienes, de 106,02 ienes. Enquanto isso, o euro operava em queda a US$ 1,3919, de US$ 1,3929 ontem. As informações são da Dow Jones. (Danielle Chaves, da Agência Estado)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: