Dólar segue em alta, mas se segura no patamar de R$ 2,05

Estadão

29 de agosto de 2012 | 12h02

Olívia Bulla, da Agência Estado

O dólar mantém a trajetória de alta ante o real exibida desde a abertura do pregão, com os investidores fazendo os ajustes às vésperas do vencimento de swap tradicional, na semana que vem. Ainda assim, os participantes do mercado de câmbio contém o ímpeto da moeda norte-americana, a fim de evitar qualquer surpresa por parte do Banco Central.

Por volta das 11h50, o dólar à vista era negociado em alta de 0,34%, cotado a R$ 2,050, depois de bater R$ 2,053, na cotação máxima do dia, em alta de 0,49%. Na BM&F Bovespa, o contrato futuro do dólar para setembro subia 0,22%, a R$ 2,0515.

Segundo um operador da mesa de câmbio de uma corretora paulista, era esperada uma pressão de alta na cotação do dólar nesta reta final de mês, por causa da expectativa do mercado financeiro de que o BC não vai rolar os cerca de US$ 4 bilhões em contratos de swap tradicional, que vencem na próxima segunda-feira. Porém, ele ressalta que o fôlego de alta deve ser limitado, de modo que a autoridade monetária não contrarie essa aposta e opte por rolar parte desses vencimentos.

Em Brasília, fonte próxima ao BC disse à Agência Estado que as cotações que rondam os R$ 2,05 “poderiam levar a autoridade monetária a contrariar a expectativa do mercado e rolar total ou parcialmente o vencimento” de contratos de swap cambial na próxima semana.

Tudo o que sabemos sobre:

dólar

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.