Dólar sobe com euro pressionado pela Itália

Yolanda Fordelone

25 de novembro de 2011 | 10h57

O dólar opera em alta enquanto o pesadelo da crise de dívida da zona do euro estimula a venda de euros. O aumento do custo de financiamento da Itália para novos recordes desde a criação do euro e o rebaixamento da Hungria pela Moody’s ontem colaboram para o enfraquecimento da moeda europeia.

A Itália pagou yields (retorno ao investidor) altos em um leilão de títulos realizado hoje. Como resultado, os yields dos bônus de 2 e 5 anos atingiram os novos recordes desde a criação do euro de 7,67% e 7,80%, respectivamente, e o yield dos bônus de 10 anos subiu até 7,34%.

O euro e a libra caíram para o menor nível em sete semanas diante do dólar – US$ 1,3226 e US$ 1,5423, respectivamente -, ao mesmo tempo que o índice do dólar subiu para a máxima em sete semanas de 79,617. Além disso, o custo da troca de fundos em euros por dólares renovou a máxima desde outubro de 2008. “Há poucas notícias que podem melhorar o sentimento”, comentou Kit Juckes, estrategista-chefe de câmbio do Société Générale.

O florim da Hungria caiu quase 2% diante do euro depois de o rating do país ter sido rebaixado para grau especulativo, se aproximando da mínima histórica de 317,66 florins por euro. A coroa da República Checa caiu para o menor nível desde junho de 2010 diante do euro e o zloty da Polônia acumulou perda de quase 1% contra o euro.

Às 10h25 (de Brasília), o euro caía para US$ 1,3252, de US$ 1,3348 no fim da tarde de ontem, enquanto o dólar subia para 77,43 ienes, de 77,08 ienes. A libra operava a US$ 1,5491, de US$ 1,5497 ontem. O índice do dólar subia para 79,474, de 79,038. As informações são da Dow Jones.

(Danielle Chaves, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:

dólaritália

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.