Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Dólar sobe com temores sobre atividade global

Estadão

22 de março de 2012 | 10h56

Cristina Canas, da Agência Estado

Os temores com o desempenho da economia global voltaram a assombrar os mercados com dados ruins que surgiram nesta quinta-feira na China e na Europa. O índice de atividade industrial que o HSBC calcula para o gigante asiático mostrou queda em março. Na Europa, também houve uma rodada de indicadores de atividade com resultados bem desanimadores. O dólar responde com alta generalizada no mercado internacional de moedas e o mesmo deve ocorrer por aqui onde, além de tudo isso, tem a atuação da equipe econômica inibindo qualquer possível pressão de baixa nas cotações do dólar.  Às 10h07, o dólar comercial subia 0,11%, a R$ 1,821.

Na China, a leitura preliminar do índice PMI Composto, medido pelo HSBC, caiu ao menor nível em quatro meses em março, a 48,1. Com isso, permaneceu abaixo do nível de 50, indicando contração da economia, pelo quinto mês consecutivo. Além disso, a abertura do dado chinês mostra deterioração nos indicadores de encomendas e de emprego, afetando perspectivas futuras e acirrando os temores quanto à economia global.

Na Europa, a maior surpresa negativa ficou com a Alemanha e a França, que registraram queda da produção da indústria em março. Os dados abalam os negócios porque essas são as maiores economias da zona do euro e eram os pequenos crescimentos que elas ainda sustentavam que estavam segurando o restante do bloco.

Diante dos dados negativos da Europa e da China, o mercado volta as esperanças para os Estados Unidos e é o primeiro indicador que foi divulgado por lá, que impede piora ainda maior nos mercados. Saíram os números de pedidos de auxílio-desemprego e houve queda, sinalizando melhora nas vagas de trabalho.

Tudo o que sabemos sobre:

dólar

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: