Em dia volátil, dólar fecha em alta de 0,25%, a R$ 2,0350

Estadão

20 de junho de 2012 | 17h29

Nalu Fernandes, da Agência Estado

SÃO PAULO – Em um dia de intensa volatilidade, o dólar encerrou a sessão no terreno positivo, com os investidores em escala mundial esmiuçando o comunicado do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) e as declarações do presidente Ben Bernanke.

No balcão, o dólar à vista fechou a R$ 2,0350, com alta de 0,25%. Na mínima, o dólar foi a R$ 2,0220 e bateu R$ 2,0370 na máxima. Na BM&F, o fechamento preliminar da moeda spot foi de R$ 2,0360, em alta de 0,11%. Há pouco, o dólar para julho de 2012 estava em R$ 2,036, com alta de 0,17%.

A ampliação da operação twist foi confirmada pelo Banco Central dos EUA e o entendimento imediato, citam estrategistas a partir da leitura do comunicado, é de que a porta permanece aberta para uma rodada adicional de relaxamento quantitativo.

A perspectiva traçada por Bernanke, reconhecendo que o Fed estava muito otimista em relação à recuperação da economia e que os últimos dados “têm sido um pouco decepcionantes”, adicionou pressão sobre os mercados.

Analistas argumentam, em face da reação dos índices acionários em queda em Nova York e dólar em alta, que o recente desempenho dos mercados sinalizava percepção de que mais seria feito no curto prazo.

Na Europa, os comentários da chanceler da Alemanha, Angela Merkel, também não trouxeram alívio. Merkel citou que a Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês) poderia ser usada, dentro de certas condições, para a compra de bônus soberanos da zona do euro nos mercados secundários, mas enfatizou que este “não é um assunto do debate agora”.

Hoje, dados do Banco Central mostram que o fluxo cambial é positivo em US$ 516 milhões em junho até dia 15. No período, o fluxo financeiro ficou positivo em US$ 1,235 bilhão e o comercial ficou negativo em US$ 719 milhões.

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.