bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Bolsas na Europa fecham semana agitada com queda de 1,7% no Stoxx 600

Estadão

24 de maio de 2013 | 14h42

Danielle Chaves, da Agência Estado

LONDRES – As bolsas europeias fecharam a sessão de hoje quase todas em baixa, pressionadas pela cautela dos investidores antes do fim de semana prolongado em Londres e nos EUA. Ainda ressoaram nos mercados de ações os receios com o fim dos estímulos à economia norte-americana e hoje o dado que mostrou que a confiança do consumidor da Alemanha subiu mais que o previsto em maio reduziu a necessidade também de o Banco Central Europeu (BCE) fornecer incentivo à economia da zona do euro.

O índice Stoxx Europe 600 caiu 0,2%, para 303,35 pontos, perdendo 1,7% na semana e rompendo uma série de quatro ganhos semanais seguidos.

Pela primeira vez desde meados de abril o índice FTSE-100 da Bolsa de Londres encerrou a semana em queda. O declínio nesta sexta-feira foi de 0,63%, para 6.654,34 pontos, e na semana as perdas acumularam 1,02%. As ações da mineradora ENRC lideraram as baixas, com -4,0%. Next caiu 2,4% depois de ser rebaixada pelo Morgan Stanley e BT Group cedeu 2,0% após um rebaixamento pelo JPMorgan.

Em Frankfurt, o índice DAX recuou 0,56%, para 8.305,32 pontos, dando continuidade ao movimento negativo de ontem, apesar da alta no índice IFO de confiança do consumidor para 105,7 em maio, acima da previsão de 104,4. Na semana, o DAX acumulou queda de 1,10%. Segundo operadores, as expectativas com as exportações alemãs se enfraqueceram, o que pode ter efeito negativo para a indústria local no futuro. SAP teve queda de 3,2%, Deutsche Bank perdeu 2,8% e Infineon cedeu 2,0%.

A Bolsa de Paris encerrou a sessão com o índice CAC-40 em baixa de 0,26%, aos 3.956,79 pontos. Na semana houve declínio de 1,11%. Os bancos foram destaque: Crédit Agricole caiu 1,9%, Société Générale declinou 0,8% e BNP Paribas recuou 1,3%. As ações da EADS, por outro lado, fecharam com alta de 1,2% em reação à notícia de que a Airbus recebeu encomendas de 100 aviões, no valor total de US$ 8,8 bilhões.

O índice Ibex-35 teve a maior queda entre as principais bolsas europeias, de 0,95%, para 8.264,60 pontos, com -3,70% na semana. Segundo uma reportagem do jornal Financial Times, os bancos espanhóis vão precisar separar mais 10 bilhões de euros para cobrir empréstimos de devedores duvidosos. Banco de Sabadell, Santander e Caixabank caíram 2,4%, 1,4% e 1,4%, respectivamente. Entre os mais negociados, BBVA teve queda de 1,0%. Bankia, cujo conselho estaria reunido hoje para avaliar a venda da filial na Flórida, caiu 4,41%.

A queda de 3,4% nas ações da Telecom Itália foi destaque na Bolsa de Milão, cujo índice FTSE-MIB caiu 0,66%, para 16.896,81 pontos, com um total de -4,01% na semana. Após a reunião do conselho realizada ontem, a companhia decidiu adiar para 30 de maio a decisão final sobre uma separação da rede de telefonia fixa. Já a Fiat subiu 4,2% com ajuda de um dado bom sobre encomendas de bens duráveis nos EUA. A Fiat é dona da montadora norte-americana Chrysler.

A Bolsa de Lisboa foi exceção no dia e subiu 0,79%, para 6.018,65 pontos. O índice PSI-20 caiu 1,58% na semana. Hoje EDP ganhou 2,0% após ter o preço-alvo de suas ações elevado pelo UBS. Galp Energia avançou 0,65%. As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:

açõeseuropa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: