Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Bolsas na Europa têm cautela à espera do fim da cúpula

Yolanda Fordelone

26 de outubro de 2011 | 07h56

As bolsas europeias operam de forma cautelosa nesta manhã, oscilando entre o território positivo e o negativo, enquanto os investidores aguardam os resultados da reunião de líderes da região hoje em Bruxelas, na Bélgica.

Espera-se que a cúpula resulte em decisões sobe a recapitalização dos bancos, sobre o poder de fogo da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês) e sobre o envolvimento do setor privado no resgate da Grécia. “No entanto, com o cancelamento da reunião de ministros de Finanças, nós esperamos receber apenas uma direção geral, com poucos detalhes”, comentou Wee Choon Teo, da Nomura.

É essa falta de detalhes que mantém os mercados em alerta e pode provocar decepção. “As últimas sugestões são de que poderá passar pelo menos alguns dias depois de um acordo na cúpula antes que os detalhes comecem a surgir”, afirmaram analistas do Morgan Stanley.

No noticiário corporativo, a gigante alemã de software SAP anunciou que seu lucro após impostos no terceiro trimestre subiu para 1,25 bilhão de euros, de 501 milhões de euros no mesmo período do ano passado, com ajuda de um ganho especial de 454 milhões de euros relacionado à redução das provisões para um litígio com a Oracle. A SAP também confirmou suas previsões para o ano.

A também alemã Merck, do setor químico e farmacêutico, reduziu sua projeção para receita no ano, mas surpreendeu os analistas com um aumento de 8% no lucro líquido do terceiro trimestre, para 226,6 milhões de euros. Os analistas esperavam 181 milhões de euros. A receita total cresceu 3,8%, para 2,53 bilhões de euros, também acima da estimativa de 2,45 bilhões de euros.

Na Holanda, a cervejaria Heineken divulgou alta de 0,6% nas vendas no terceiro trimestre, para 4,65 bilhões de euros, e lucro líquido de 525 milhões de euros, em linha com o lucro do mesmo período do ano passado.

Às 7h40 (de Brasília), Londres subia 0,06%, Paris avançava 0,02% e Frankfurt caía 0,01%, enquanto o euro tinha alta para US$ 1,3935, de US$ 1,3908 no fim da tarde de ontem. O iene ganhava força frente a outras moedas, o que alimenta especulações de que o governo do Japão vai agir em breve para conter a valorização da divisa. No mesmo horário, o dólar caía para 75,94 ienes, de 76,09 ienes ontem. As informações são da Dow Jones.

(Danielle Chaves, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:

açõeseuropa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: