Europa fecha em baixa com fala de Merkel e revisão de ratings; Bovespa opera em alta

Bianca Pinto Lima

13 de dezembro de 2011 | 15h59

A maioria das bolsas europeias fechou em leve queda após relatos de que a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, rejeitou o aumento do limite do Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM), que atualmente é de € 500 bilhões. O ESM deve substituir o Fundo Europeu de Estabilização Financeira (EFSF, na sigla em inglês), de € 440 bilhões.

A notícia de que a agência de classificação de risco Fitch revisou sua perspectiva para o rating da Bulgária, República Checa, Letônia e Lituânia de positiva para estável também pesou sobre os mercados.

A Bolsa de Frankfurt recuou 0,19%, Paris cedeu 0,35%, Madri declinou 0,63%, Lisboa caiu 1,35% e Milão teve queda de 0,31%. Londres seguiu na mão contrária, com alta de 1,15%.

Os temores sobre a crise da dívida na Europa também afetaram o mercado de moedas. O euro recuou para o menor nível em quase um ano em relação ao dólar. A moeda comum tocou hoje US$ 1,3057, seu menor nível desde 13 de janeiro.

No mercado doméstico, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta de 0,68%, aos 57.739 pontos. Já o dólar sobe 0,70%, cotado a R$ 1,8570.

Em Nova York, os principais índices acionários também têm valorização. Dow Jones ganha 0,56%, S&P 500 sobe 0,39% e Nasdaq, radar do setor de tecnologia, tem leve alta de 0,05%.

(Clarissa Mangueira, da Agência Estado, e Dow Jones)

Tudo o que sabemos sobre:

Bovespa; bolsas; mercados; ações

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.