Iene avança com decepção causada por plano de Abe; dólar australiano cai após dados do PIB

Estadão

05 de junho de 2013 | 09h10

Sergio Caldas, da Agência Estado

LONDRES – O iene avança ante o dólar e o euro após a decepção causada pelo plano anunciado nesta madrugada pelo primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, e o dólar australiano cai com força após a divulgação dos últimos dados do Produto Interno Bruto (PIB) da Austrália.

O impulso ao iene veio após um aguardado discurso de Abe sobre uma nova estratégia para revitalizar a economia japonesa contrariar as expectativas do mercado. Abe prometeu buscar crescimento de 2% em termos reais e de 3% em termos nominais ao longo da próxima década por meio de medidas que incluem desregulamentação, cortes de impostos e incentivos para investimentos diretos estrangeiros no Japão.

“O discurso dele trouxe alguns novos elementos, mas, no geral, ficou abaixo das expectativas”, comentou Dai Sato, vice-presidente sênior da divisão de câmbio do Mizuho Corporate Bank.

Após o anúncio de Abe, a Bolsa de Tóquio fechou hoje em baixa de 3,83%, no quinto recuo de mais de 3% do índice Nikkei em menos de duas semanas. Como as apostas sobre o sucesso dos planos econômicos de Abe parecem depender de um iene desvalorizado e ações em alta, o discurso desta madrugada acabou dando suporte à moeda japonesa.

O dólar da Austrália, ligado a commodities, sofreu forte pressão de venda e atingiu a mínima em 17 meses ante a divisa norte-americana após a publicação do PIB australiano do primeiro trimestre, que cresceu 0,6% ante os três meses anteriores. Economistas previam um avanço ligeiramente maior, de 0,7%, e o dado alimentou expectativas de que o RBA, como é conhecido o banco central australiano, poderá fazer um novo corte de juros no futuro. Ontem, a instituição preferiu deixar sua taxa básica de juros inalterada, em 2,75%.

A moeda australiana acumula perdas de cerca de 6% desde o início de maio com expectativas crescentes de que o Federal Reserve, o BC norte-americano, está cada vez mais perto de começar a desfazer sua política de estímulos econômicos, e sinais de desaceleração na China.

Além de recuar ante o iene, o euro também perde terreno para o dólar, pressionado pela notícia de que as vendas no varejo da zona do euro sofreram forte queda em abril. Além disso, o índice de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) do setor de serviços do bloco de 17 países subiu para 47,2 em maio, de 47,0 em abril, mas ficou abaixo da previsão de 47,5. Já a contração do PIB da zona do euro no primeiro trimestre foi confirmada em 0,2% ante o trimestre anterior.

A libra avança ante o dólar após o PMI de serviços britânico aumentar em maio para 54,9, o nível mais alto desde março de 2012, de 52,9 em abril.

Nesta manhã, os investidores aguardam dados sobre empregos no setor privado dos EUA, que saem às 9h15 (de Brasília) e servem de prévia para o relatório que será publicado pelo Departamento de Trabalho norte-americano na sexta-feira (7), englobando também o setor público.

Às 8h58 (de Brasília), o dólar australiano recuava cerca de 0,80% para US$ 0,9674. O euro estava cotado a US$ 1,3069, ante US$ 1,3081 no fim da tarde de ontem em Nova York, e caía para 130,00 ienes, de 130,87 ienes. Em relação à moeda do Japão, o dólar cedia para 99,48 ienes, de 100,05 ienes. A libra avançava para US$ 1,5359, de US$ 1,5316 ontem. O índice Wall Street Journal do dólar, que acompanha seu desempenho antes uma cesta de moedas, se mantinha estável em 74,502.

Fonte: Dow Jones Newswires. 

Tudo o que sabemos sobre:

ieneJapão

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.