Índice europeu tem maior alta em 16 meses com rumor sobre novas medidas para crise

Bianca Pinto Lima

27 de setembro de 2011 | 13h41

O principal índice das ações europeias registrou nesta terça-feira o maior ganho porcentual diário em 16 meses, a caminho da maior alta semanal desde julho de 2010, por esperanças de que formuladores de política monetária estejam discutindo medidas para ajudar a amenizar a crise de dívida da região. O índice FTSEurofirst 300 subiu 4,3%, para 936 pontos, na terceira alta consecutiva.

Veja também:

RADAR ECONÔMICO: Bolsas no mundo disparam com rumores e boas intenções

Londres fechou em alta de 4,02%, enquanto Frankfurt subiu 5,29% e Paris ganhou 5,74%. Já Milão teve valorização de 4,9% e Madri avançou 4,03%. Lisboa, por sua vez, teve alta de 2,99%.

Os papéis de bancos figuraram entre os de melhor desempenho, com o índice STOXX Europe 600 para bancos em alta de 6,5%, na terceira valorização consecutiva devido ao otimismo com um plano de ação coordenada. No entanto, o índice ainda acumula queda de 30% neste ano.

No mercado local, a Bovespa opera em alta de 1,93%, aos 54.785 pontos. Já o dólar cai 1,47%, cotado a R$ 1,8060. Em Nova York, Dow Jones sobe 2,42%, S&P 500 ganha 2,26% e Nasdaq tem alta de 2,17%.

“Estamos tendo um rali amparado pelo plano, sugerindo que os políticos estão começando a encarar as coisas de forma séria”, disse o gestor de fundo da Rathbone Brothers, David Coombs, que tem US$ 23,6 bilhões sob gestão.

“Mas é um plano que ainda não foi acertado e não tenho certeza de que é totalmente factível. Não estou aumentando minhas posições com essas notícias, ainda há muita incerteza e de alguma forma o mercado refletirá isso.”

(Joanne Frearson, da Reuters)

Tudo o que sabemos sobre:

bolsas; europa;

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.