Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Londres acentua queda após dado fraco de inflação

Yolanda Fordelone

20 de março de 2012 | 08h14

A Bolsa de Londres acentuou levemente a queda apresentada desde o início da sessão depois da divulgação do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do Reino Unido. A inflação anual subiu 3,4% em fevereiro, abaixo da alta de 3,6% registrada em janeiro e a menor taxa desde novembro de 2010, embora tenha ficado acima da previsão dos economistas de 3,3%.

“Se nós considerarmos o dado de hoje no contexto do pequeno aumento dos salários e do fraco mercado de trabalho, continuamos não vendo riscos de alta para a inflação no médio prazo”, comentaram analistas da Newedge. Às 9h00 (de Brasília), Londres caía 1,13%, enquanto a libra operava em baixa a US$ 1,5870, de US$ 1,5894 no fim da tarde de ontem.

Alemanha

A Bolsa de Frankfurt opera em baixa pressionada, entre outros fatores, pela queda das ações do setor automotivo. As ações estão reagindo à informação de que a Associação de Fabricantes de Automóveis da China afirmou que o mercado automotivo do país não deverá crescer mais que 5% neste ano. Segundo reportagem da agência Bloomberg, Gu Xianghua, vice-secretário-geral da associação, disse que a meta de crescimento do setor será perdida por causa da desaceleração da economia chinesa.

“Embora a liquidação nos mercados europeus pelo segundo dia não seja uma surpresa tendo em vista o avanço para as máximas em oito meses apresentado na semana passada, a falta de notícias positivas intensifica a extensão da realização de lucros”, comentou um operador. Às 9h00 (de Brasília), Frankfurt caía 1,38%, com destaque para o recuo de 5,14% da Daimler, de 5,15% da BMW e de 4,47% da Volkswagen.

As informações são da Dow Jones.

(Danielle Chaves, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:

bolsalondres

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: