Bolsa de Madri fecha no nível mais baixo em 9 anos; Bovespa recua e dólar opera na máxima

Bianca Pinto Lima

24 de julho de 2012 | 14h05

Economia & Negócios, com agências internacionais

A bolsa de Madri fechou em queda de 3,58%, aos 5.956 pontos, o nível mais baixo desde abril de 2003. O mercado financeiro espanhol é impactado nesta terça-feira pela notícia de que a Catalunha deve ser a terceira região do país a pedir resgate para conseguir honrar suas pesadas dívidas de curto prazo.

A Catalunha, a região mais endividada da Espanha e responsável por um quinto da produção econômica do país, tem pagamentos de dívida de 3,4 bilhões de euros no segundo semestre, incluindo 2,76 bilhões de euros em títulos vencendo no final de novembro.

As outras praças financeiras da Europa também fecharam em queda nesta terça-feira. Paris recuou 0,87%, Frankfurt perdeu 0,45%, Londres teve baixa de 0,63% e Milão cedeu 2,71%.

A notícia da agência Reuters de que a Grécia dificilmente conseguirá pagar suas dívidas e uma nova reestruturação deverá ser necessária também ajudou a trazer mais tensão para os mercados.

Por aqui, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) chegou a recuar 1,15%, mas por volta das 14 horas registrava queda de 0,92%, aos 52.546 pontos. Já o dólar opera na máxima, em alta de 0,59%, cotado a R$ 2,051.

Em Nova York, os sinais negativos se repetem. Dow Jones perde 1,12%, Nasdaq recua 0,80% e S&P 500 tem baixa de 1,11%.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.