Na Europa, bolsas oscilam à espera de pacote de ajuda

Bianca Pinto Lima

28 de setembro de 2011 | 09h33

As bolsas da Europa oscilam nessa quarta-feira, sem muita definição de tendência. Em Londres, as ações caem 0,35%, Frankfurt avança 0,34% e Paris cai 0,10%.

Segundo analistas, os mercados precisaram voltar à realidade depois de dois dias de alta impulsionada pelas especulação de que autoridades europeias poderiam estar considerando sua própria versão do Programa de Alívio de Ativos Problemáticos ( Tarp, na sigla em inglês), que permitiu suporte dos governo dos EUA de US$ 700 bilhões ao JPMorgan, ao Bank of America e ao Citigroup, entre outros.

“A maior parte da retórica que ouvimos ao longo dos últimos dias vai contra esse otimismo recém-descoberto”, disse o Crédit Agricole em nota aos clientes. “A maioria dos ministros das Finanças europeus salientaram que o reforço da EFSF além dos termos acordados em 21 de julho é uma perspectiva improvável.”

As mudanças na EFSF acordadas na reunião de julho ainda precisam da aprovação dos Parlamentos de vários países da zona do euro. Hoje, o Parlamento da Finlândia aprovou em uma votação final a legislação para modificar a linha por 103 votos favoráveis ante 66 contrários à legislação.

A equipe de inspetores da União Europeia, FMI e Banco Central Europeu (BCE), a troica, deverá retornar à Grécia a partir de amanhã para dar continuidade às negociações sobre a implementação do plano de austeridade da Grécia e da liberação, sob condições, da próxima parcela do pacote de socorro já concedido ao país, de € 8 bilhões.

Dentro dessa expectativa, o euro conseguir sustentar-se em alta após o Parlamento da Finlândia aprovar a expansão da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês). A moeda e outras divisas consideradas relativamente arriscadas, como o dólar australiano, tinham reduzido alguns dos ganhos obtidos no final da sessão em Nova York ontem, mas conseguiram se recuperar, apesar de um tom menos otimista nos mercados acionários da Ásia e Europa.

Às 8h50 (de Brasília), o euro estava em US$ 1,3640, de US$ 1,3584 no fim da terça-feira em Nova York. O dólar operava em 76,42 ienes, de 76,81 ienes. O euro também era negociado em 104,29 ienes, de 104,44 ienes. A libra estava em US$ 1,5662, de US$ 1,5641.

Na Ásia, a maioria das bolsas de valores fecharam em baixa nesta quarta-feira, com investidores aguardando mais sinais, antes de fazer apostas mais ousadas. Em Tóquio, o índice Nikkei teve leve alta de 0,07%. O índice de Seul encerrou em baixa de 0,73%. O mercado tombou 0,66% em Hong Kong e a bolsa de Taiwan avançou 0,80%, enquanto o índice referencial de Xangai perdeu 0,95%. Cingapura retrocedeu 0,91% e Sydney fechou com valorização de 0,87%.

 Leia tudo sobre os mercados financeiros e a crise econômica nos Estados Unidos e Europa

Tudo o que sabemos sobre:

Rebaixamento dos EUA; Bolsas despencam

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.