Otimismo com Grécia faz Bovespa subir na abertura

Yolanda Fordelone

20 de setembro de 2011 | 10h03

O rebaixamento da nota de risco da dívida de longo prazo da Itália não causou temor nos mercados. Pelo contrário, a revisão para baixo da nota já estava prevista e investidores observam outras notícias nesta terça-feira. As bolsas do mundo todo sobem.

No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo abriu em alta de 0,03%, a 57.113 pontos. “Houve o rebaixamento da Itália e elevação da Turquia: uma notícia rum e outra boa”, diz o operador da corretora Icap, Carlos Augusto Nielebock. “A situação da europa está ruim. O rebaixamento é apenas consequência”, afirma.

O otimismo com a Grécia está maior, segundo o operador. Hoje, o Ministério das Finanças da Grécia retoma as conversas com os credores internacionais sobre a ajuda ao país, por volta das 14 horas no horário de Brasília.

Além disso, um leilão de títulos (T-bills) da Grécia acalmou os temores dos investidores sobre um iminente calote do país.

A alta das matérias-primas (commodities) também ajuda na alta. “Estão subindo há três dias com a expectativa de que o consumo de petróleo aumente conforme a situação da Europa melhorar”, explica Nielebock.

Às 10 horas, as bolsas da Europa operavam em terreno positivo. Londres avançava 1,09%, Paris, 0,51%, Frankfurt, 1,63%, e Madri, 0,55%.

Leia tudo sobre os mercados financeiros e a crise econômica nos Estados Unidos e Europa.

Tudo o que sabemos sobre:

aberturaaçõesBovespa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.