Ouro, cobre e petróleo sobem após China cortar compulsório bancário

Estadão

30 de novembro de 2011 | 11h14

O ouro spot e os contratos futuros de cobre negociados na London Metal Exchange (LME) mudaram de direção e passaram a subir após o banco central da China informar que vai cortar a taxa de exigência de reserva dos bancos em 0,5 ponto porcentual, a partir de 5 de dezembro, para impulsionar a liquidez e dar suporte à economia. O petróleo também recebeu um impulso, superando a marca de US$ 100,00 o barril.

Às 9h30 (de Brasília), o ouro spot já tinha devolvido parte dos ganhos e subia 0,04%, a US$ 1.716,72 a onça-troy. Já o contrato de cobre para três meses na LME ganhava 1,5%, a US$ 7.428,00 a tonelada. O contrato de petróleo para janeiro tinha alta de 0,29%, a US$ 100,09 o barril no pregão eletrônico da New York Mercantile Exchange (Nymex).

Os metais básicos e outras commodities industriais são sensíveis a desdobramentos macroeconômicos na China, que é uma das maiores consumidoras de matérias-primas do mundo. As informações são da Dow Jones. (Álvaro Campos, da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:

Chinacobrecompulsórioouropetróleo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.