Queda nas ações da Vale reduz fôlego de alta da Bovespa

Estadão

26 de julho de 2012 | 12h48

Renata Pedini e Olívia Bulla

SÃO PAULO – A forte queda das ações da Vale impede que a Bovespa acompanhe com maior vigor a alta dos mercados internacionais, embalados pelas declarações do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, e por dados divulgados mais cedo nos EUA. Ainda assim, os negócios locais seguem no positivo desde a abertura, testando forças para segurar os 53 mil pontos.

Às 11h05, o Ibovespa subia 0,84%, aos 53.045,17 pontos e registrava um volume financeiro de R$ 1,4 bilhão. Na máxima, o índice à vista foi aos 53.317 pontos, em alta de 1,35%, e na mínima, registrou ligeira alta de 0,06%, aos 52.638 pontos.

Neste horário, as ações ON e PNA da Vale caíam 2,27% e 1,94%, respectivamente, e movimentavam juntas R$ 520 milhões, aproximadamente. Na mínima, esses papéis chegaram a cair mais de 3% cada.

Em relatório, a equipe da Lerosa Investimentos ressalta que o resultado financeiro da Vale no segundo trimestre deste ano decepcionou e limita a alta da Bolsa. “Preços menores, aumento de custos e valorização do dólar foram os vilões para a empresa no período e são fatores que devem permanecer presentes, diminuindo a perspectiva para a lucratividade ao longo do ano.”

No horário acima, em Nova York, o Dow Jones subia 1,95% e o S&P 500 tinha alta de 1,70%, beneficiado pela queda maior que esperada nos pedidos semanais de auxílio-desemprego e aumento maior que o previsto das encomendas de bens duráveis. Porém, as vendas pendentes de móveis contrariaram a previsão de alta, e caíram.

Tudo o que sabemos sobre:

açõesBovespaquedaVale

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.