Receio sobre Grécia pressiona bolsas europeias

Bianca Pinto Lima

21 de setembro de 2011 | 09h04

Os mercados europeus operam novamente em baixa, exibindo a apreensão dos investidores com os desdobramentos da crise na Grécia e seus efeitos sobre o setor bancário europeu. O ambiente é de muita cautela e expectativa com as negociações, que ainda prosseguem, entre a Grécia e os credores externos, e que definirão o destino do país e da zona do euro.

Por outro lado, a pressão de venda de ações é parcialmente limitada por notícias de que o governo grego reuniu-se hoje e fará anúncio de novas medidas de austeridade. Além disso, também pesam positivamente a revelação da ata do Banco da Inglaterra de que aumentou o número de votos à favor de mais estímulo econômico e a possibilidade do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) anunciar à tarde algum tipo de incentivo à atividade econômica.

Às 8h41 (horário de Brasília), o índice FT-100, da Bolsa de Londres, caía 0,71%; o índice Xetra-DAX, de Frankfurt, registrava queda de 1,33%; e o índice CAC-40, de Paris, recuava 1,18%.

“A ausência de qualquer notícia concreta, do lado positivo ou negativo, mantêm os volumes de negócios reduzidos. Mais uma vez, com nenhuma novidade significante da Europa, essa tendência deve continuar”, disse o Lloyds Corporate Markets. A atenção seguirá sobre a Grécia e se o país receberá a próxima tranche do empréstimo concedido o ano passado.

Leia tudo sobre os mercados financeiros e a crise econômica nos Estados Unidos e Europa

 

Tudo o que sabemos sobre:

Rebaixamento dos EUA; Bolsas despencam

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.