Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Vale e bancos melhoram e recolocam Bolsa nos 62 mil pontos

Estadão

26 de abril de 2012 | 17h24

Alessandra Taraborelli, da Agência Estado

Depois de ficar de lado durante toda a manhã, a Bovespa conseguiu se firmar em terreno positivo e voltar para os 62 mil pontos. A performance vespertina é atribuída à mudança de rumo das ações da Vale e dos bancos, além do avanço dos papéis da Petrobrás. Essa melhora foi amparada pelo desempenho do mercado acionário em Nova York, que operou majoritariamente em alta, refletindo os dados das vendas de imóveis nos EUA.

O Ibovespa encerrou com ganho de 0,72%, aos 62,198,06 pontos. Na mínima, o índice atingiu 61.033 pontos (-1,16%) e, na máxima atingiu 62.282 pontos (+0,86%). O giro financeiro foi de R$ 8,071 bilhões. Os dados são preliminares.

“Vale recuperou o tombo da manhã e o setor bancário virou. O que estava subindo um pouco, passou a subir mais. Praticamente tudo melhorou”, disse um operador, explicando ainda que o mercado está resistente em perder os 61 mil pontos. “Toda vez que a Bolsa encosta nos 61 mil pontos, entra comprador “, disse a fonte.

O papel ON da Vale subiu 1,47% e o PNA, +1,68%. Mais cedo, os papéis chegaram a cair cerca de 1%, reagindo à divulgação de lucro líquido 43,9% menor no primeiro trimestre de 2012 em relação a igual período do ano anterior. Na sessão vespertina, no entanto, os investidores preferiram olhar para o mercado acionário externo e foram às compras. Isso também foi possível porque, segundo operadores, o papel da mineradora perto de R$ 40,00 é considerado “barato”.

Itaú Unibanco e Itaúsa, que ontem caíram quase 6% e puxaram a queda do INFC – índice de empresas do setor financeiro -, hoje subiram 0,03% e 0,52%, respectivamente e, junto com outras instituições, ajudaram o INFC a encerrar esta quinta-feira com ganho de 0,82%. O papel ON do Bradesco avançou 0,08% neste pregão e o PN, 0,67%. Os papéis do BTG Pactual estrearam com alta de 0,64%, a R$ 31,45, com o segundo maior giro da bolsa, de R$ 575,845 milhões. Cielo, que também pertence ao INFC, hoje liderou as alta do Ibovespa com valorização de 7,06%.

Petrobrás acompanhou o preço do petróleo no mercado internacional e subiu. O papel ON 0,95% e o PN, +0,52%. Na Nymex, o petróleo para junho encerrou com ganho de 0,41%, a US$ 104,55 o barril.

Nos EUA, a Associação Nacional dos Corretores de Imóveis informou que o índice de vendas pendentes de imóveis aumentou 4,1% em março, para 101,4, em relação a fevereiro, marcando o maior nível desde abril de 2010. A previsão era de aumento mensal de 1,3%. Esse indicador acabou deixando de lado a decepção com os dados sobre emprego. O Departamento de Trabalho dos EUA informou que os pedidos de auxílio-desemprego caíram apenas 1 mil, ante previsões de queda de 10 mil solicitações.

Em Nova York, o índice Dow Jones subiu 0,87%, o S&P 500 ganhou 0,67% e o Nasdaq, +0,69%.

Tudo o que sabemos sobre:

Bovespa

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: