Como a Trade War afeta a Economia e os seus Investimentos

Como a Trade War afeta a Economia e os seus Investimentos

Canal Econoweek

27 de julho de 2018 | 05h00

Guerra comercial, ou Trade War, é um dos temas que têm deixado os investidores de cabelo em pé! Seja os grandes ou pequenos investidores. E não é para menos!

Uma trade war, ou guerra comercial, envolve a imposição de tarifas adicionais entre parceiros comerciais. Isso tende gerar perdas de bem estar para os envolvidos no longo prazo. Mas será que isso pode gerar uma crise ou afetar os seus investimentos? Nós do Econoweek  vamos discutir isso com você!

Historicamente (principalmente nos anos de 1930), as recessões levaram às guerras comerciais. Isso aconteceu porque os países tentavam proteger a indústria local. A idéia era tentar criar uma dificuldade para entrada de produto importado para, teoricamente, favorecer a produção nacional. Mas esse protecionismo foi quase sempre culpado por piorar ainda mais a crise existente.

Tarifas mais altas levam a uma queda nas importações. Se as tarifas forem recíprocas, os dois países envolvidos irão importar menos. Mas não para por aí.

Os EUA impuseram tarifas mais altas sobre a importação de aço. Quase todo aço que entrar nos EUA vai pagar mais imposto. Como o aço ficará mais caro por lá, os americanos comprarão menos aço. Isto pode fazer a indústria local ter preços mais competitivos, já que o aço importado está mais caro. Mas, por outro lado, os americanos enfrentarão preços mais altos, já que o aço mais barato deixou de existir por lá. Como resultado, vai ter menor demanda dos americanos por outros produtos, uma vez que terão que pagar mais por todo produto que tiver aço em sua composição ou na cadeia de produção. Pode até não ser tão drástico, mas isso vai gerar menor crescimento nas vendas dos EUA.

Ao mesmo tempo, as empresas americanas que produzem bens enfrentarão os custos mais altos do aço e, como resultado, verão uma queda na demanda já que os produtos também ficarão mais caros para o consumidor final.

Além disso, como resposta, outros países também podem fazer a mesma coisa em retaliação. Se a Europa colocar tarifas adicionais sobre produtos americanos, como nas motos Harley Davidson, alguns exportadores americanos, que vendem coisas para outros países, também vão ter uma queda nas suas vendas. Afinal, as Harley’s, nesse exemplo, vão ficar mais caras na Europa.

Esse encarecimento das coisas, onde, com uma mesma quantidade de dinheiro, se pode consumir menos é o que os economistas chamam de perda de bem estar.

Mas isso é tão grave assim? Por si só, como você viu, uma guerra comercial não é benéfica. Mas dificilmente pode gerar uma crise.

O problema é que sempre tem muita coisa acontecendo. Por exemplo: por outros motivos, a China está crescendo menos do que antes e alguns países, como a Alemanha, dependem muito mais do comércio exterior e podem sofrer mais com a Trade War, tornando essa confusão mais imprevisível.

Para o investidor, esta perda de dinamismo da atividade econômica é notícia negativa, uma vez que os principais ativos e ações das companhias também tendem a refletir esta expectativa de perda receita potencial.

De todo modo, os especialistas têm dito que uma guerra comercial franca, apesar de ter aumentado a chance de ocorrer, não conta com probabilidade preponderante justamente porque os governantes das principais economias já sabem (ou em algum momento seriam alertados) do risco de o “tiro sair pela culatra”.

Enfim, vale a pena deixar isso em seu radar para conhecer todos os riscos para os seus investimentos. Afinal… o conhecimento é sempre uma saída!

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.