Conheça quais são os riscos de um investimento?

Conheça quais são os riscos de um investimento?

Canal Econoweek

28 de abril de 2019 | 12h51

São diferentes tipos de risco que devem ser levados em conta na hora de investir. Hoje, nós do Econoweek vamos falar de todos os eles. Assim, você vai poder decidir quais riscos você está disposto a correr, e quais não está.

1. RISCO DE MERCADO: este risco é inerente ao mercado financeiro e é representado por suas oscilações típicas. Resumindo, em um dia, um determinado ativo ou grupo de ativos por ter um desempenho e no dia seguinte pode ter comportamento oposto.

2. RISCO DE CRÉDITO: ou vulgarmente chamado de “risco de calote”. É o risco de uma instituição não devolver o dinheiro investido. Os títulos de renda fixa costumam ter o menor risco de crédito, começando pelos títulos públicos e depois passando pelos privados.

3. RISCO DE LIQUIDEZ: isso acontece em uma situação em que você precisa resgatar o seu investimento, mas não há nenhuma contraparte disposta a comprá-lo.

4. RISCO OPERACIONAL:  esse risco as vezes é conhecido por “falha técnica”. Você se lembra do dia em que o site do seu banco ou o home broker da sua corretora estavam fora do ar? Pois é. Nesse dia, caso você precisasse resgatar algum investimento ou fazer qualquer outra operação, você teria um problema.

5. RISCO REGULATÓRIO: quando há uma mudança de regra do jogo, normalmente proveniente do governo ou de algum órgão regulador, esta alteração pode atrapalhar a sua estratégia de investimentos previamente traçada. De todo modo, normalmente as alterações mais recentes têm sido no sentido de melhorar as regras do jogo e foram bem vistas pelos investidores.

 

MINIMIZANDO O RISCO

Conhecidos todos os riscos, há algumas coisas que podem ser feitas para minimizar tudo isso.

1. DIVERSIFICAÇÃO DE ATIVOS: invista em diferentes tipos de ativos, evitando colocar “todos os ovos em uma cesta só”.

2. FGC: busque alguns investimentos garantidos pelo Fundo Garantidor de Crédito, limitado a R$ 1 milhão por CPF e a R$ 250 mil por instituição financeira.

3. CLASSIFICAÇÃO DE RISCO: existem empresas contratadas para classificar o grau de risco de cada opção de investimento. Fique atento.

4. HISTÓRICO DE NEGOCIAÇÃO: antes de investir, observe o volume de negociações do ativo que você irá adquirir. Desta maneira, evitará ativos que não têm muita procura, caso seja este o seu objetivo.

5. DIVERSIFICAÇÃO DE CORRETORAS: ao ter conta e investimentos em diferentes corretoras, você terá minimizado o risco caso alguma delas fique “fora do ar”.

Gostou das dicas? Conta pra gente aqui nos comentários, ou pode ir até o nosso canal do YouTube, ou mesmo no nosso Instagram. A gente sempre compartilha muito conhecimento sobre economia, finanças e investimentos. Afinal, o conhecimento é sempre uma saída!

Tendências: