Greve dos caminhoneiros: A solução

Greve dos caminhoneiros: A solução

Canal Econoweek

01 Junho 2018 | 05h00

Evidentemente o tema hoje não é brincadeira e, além disso, a solução não é fácil nem imediata. Nós, do Econoweek, vamos dar a solução para o problema dos caminhoneiros e dos combustíveis. A solução está na eleição.

A única facilidade que você terá nesse processo todo será assistir o vídeo abaixo ao invés de ler todo o texto, pois a mensagem é a mesma. Aliás, um conselho adicional, pare de procurar facilidades para não ser enganado, pois muito provavelmente é o que vai acontecer.

O tom é meio tenebroso, pois vamos tratar de algo sério. O Brasil está em um espiral, que vamos explicar adiante, e a solução, conforme supracitado, está na eleição. Assim, nós, do Econoweek, vamos te ajudar a escolher os seus candidatos de maneira que suas escolhas sejam no mínimo coerentes.

Os caminhoneiros essa semana param o país, pois o preço do diesel está elevado, o que nos fez refletir que antes de tudo, a primeira coisa que você precisa procurar em um candidato é um que seja a favor da reforma tributária. Ainda que você não tenha sido a favor das greves dos caminhoneiros ou a favor de seus pleitos, é difícil presumir que você esteja satisfeito com o nível dos impostos ou com os serviços que lhes são prestados dada a carga tributária. Até mesmo porque os impostos no Brasil são cobrados mais sobre bens e serviços do que sobre renda, o que gera distorções distributivas no país.

Ou seja, o primeiro pré requesito dos seus candidatos em outubro é a reforma tributária. Busque aquele que fará se dispõe a fazer uma reforma tributária.

Contudo, o problema dos caminhoneiros é de curto prazo. O imposto é elevado. Mas é nesse ponto que não podemos nos precipitar, pois estamos em um espiral. Se diminuirmos os impostos o Brasil quebra por falta de dinheiro, a situação fiscal do país e, principalmente, dos estados é alarmante. Mas como todos estão vendo e sentindo na pele, deixar os impostos nesse nível deixa a população indignada, a ponto de paralisar o país e tornando-o o caos completo e rumo ao precipício.

Assim já antecipamos, não temos saída no curtíssimo prazo, a paciência não pode acabar. Esperamos até outubro e votamos em linha com o que estamos pensando.

Se nós queremos pagar menos impostos sem quebrar o país, precisamos aumentar a eficiência do estado. Se mesmo eficiente quisermos pagar ainda menos impostos, precisamos diminuir o tamanho do estado.

É aí que está sua solução. Não é fácil e não ocorrerá semana que vem. Mas poderá ser iniciada com seu voto durante as eleições.

É evidente que estamos versando sobre tudo isso sem considerar a premissa mais básica de todas. É fundamental que parem de drenar os recursos públicos. Ou seja, parem a roubalheira. Parem já a corrupção pelo simples fato que o dinheiro não é seu e pronto.

Mas voltando, em suma, vote em candidatos honestos, que defendam reforma tributária e, de acordo com a sua vontade de reduzir o volume de impostos, aumentem a eficiência dos serviços prestados, ou até mesmo o tamanho do estado.

Não dá pra vivermos a incoerência de que nós queremos menos impostos, votando nos mesmos reprodutores de ineficiência dos serviços públicos e com um estado cada vez mais provedor e maior.

Pense, pesquise, vote consciente e coerente.