Morar na China é uma boa idéia?

Morar na China é uma boa idéia?

Canal Econoweek

14 Setembro 2018 | 17h39

Você já pensou em visitar, trabalhar ou estudar na China? A gente, do Econoweek, vai te ajudar com dados econômicos desse grande país para você não ir para lá com uma mão na frente e outra atrás.

As métricas que utilizamos para essa comparação são: PIB, que mostra a riqueza gerada por ano; PIB per capita, que mostra a riqueza por pessoa por ano; Desemprego; Taxa de juros básica e; Custo de vida.

Destacamos que nesses rankings a 1ª posição sempre será a melhor. Ou seja, se falamos de preço, o 1º colocado é o país mais barato; se falamos de PIB, o 1º lugar é o do país mais rico.

Começando pelo PIB, A China tem o segundo maior PIB do mundo. São produzidos por ano lá mais de 12 trilhões de dólares todo ano! Muito atrás dos EUA, que produzem 19 trilhões de dólares/ano, mas muito à frente do Japão, que é o terceiro no ranking com quase 5 trilhões de dólares produzidos todo ano.

Mas como a gente sabe, a China é o país mais populoso do mundo, com uma população de 1,4 bilhão de pessoas, e então temos que avaliar o PIB divido pela população, o famoso PIB per capita. Neste ranking os chineses estão na 89ª posição. São 8,8 mil dólares por pessoa ao ano.

Mas e o custo de vida? Por estarem sob um regime comunista será que é tudo barato? Por incrível que pareça, a China lembra bastante o Brasil no quesito custo de vida. Eles são o 42º país mais barato do planeta. Nós estamos com a 43ª posição!

Mas e o mercado de trabalho? Tem emprego para todo mundo? O desemprego lá não é tão elevado. Pouco mais de 4,5% das pessoas que procuram emprego ainda estão desempregadas. Esse número dá a eles a 72ª posição no ranking de desemprego.

Por fim, vamos ver o ranking de juros. O juros lá é baixíssimo, o que conferiu a eles a posição número 20 no nosso ranking de juros.

Vale lembrar que se você pensa em vistar, viver ou estudar por lá, não são apenas aspectos econômicos que devem ser levados em conta. Outra coisa a se observar é a cultura, além da barreira do idioma. Já vimos relatos de boas e más experiências de brasileiros por lá.

De todo modo, o conhecimento é sempre uma saída e se munir de conhecimento econômico do país da Grande Muralha é claro que é uma boa idéia!    😉