Onde investir a reserva de emergência

Onde investir a reserva de emergência

Canal Econoweek

12 Setembro 2018 | 07h00

Sabe aquele dinheiro que você guarda pra uma emergência? Aquele carro que quebra, ou microondas que para de funcionar, gripe que chega e você tem de gastar com vários remédios… Pois é, ele também precisa ser investido! A maioria da população coloca suas economias (tanto as de emergência como outras) na tradicional e conhecida caderneta de poupança. Mas será a melhor aplicação?

Antes de responder essa pergunta, o Econoweek explica qual o valor da reserva de emergência. A quantia sugerida é de seis meses de gastos mensais. Ou seja, se gasta R$ 1 mil, uma reserva de R$ 6 mil estaria de bom tamanho.

Mas esta regra muda conforme a sua fonte de renda. Para pessoas com garantia de emprego como um servidor público, o valor poderia cair para dois ou três meses de reserva. Já para um empreendedor ou um profissional autônomo poderia ser de 10 meses.

Falando especificamente dos investimentos, separamos duas aplicações que rendem mais que a poupança e tem uma característica tão vantajosa quanto a da caderneta: a liquidez, a possibilidade de resgate a qualquer momento. Trata-se do Tesouro Selic, um título público vendido no Tesouro Direto, e dos Fundos DIs.

Duvidou da rentabilidade? Natural, afinal tais aplicações, diferentemente da poupança, possuem imposto. Mas fizemos o cálculo na ponta do lápis e colocamos no vídeo que você pode assistir acima.