As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Receita paga 2º lote de restituição do IR 2018; saiba o que fazer com o dinheiro

Crédito bancário será feito a 3 milhões de contribuintes; montante é avaliado em R$ 5 bilhões

Economia & Negócios

16 de julho de 2018 | 05h00

A Receita Federal paga nesta segunda-feira, 16, o 2º lote do Imposto de Renda Pessoa Física. Ao todo, serão desembolsados R$ 5 bilhões para 3.360.917 contribuintes, incluindo as restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2017.

+ Sem correção, defasagem da tabela do IR sobe para 88,4%

Para verificar se está contemplado neste lote, o usuário deverá acessar a página da Receita Federal na internet ou ligar para o Receitafone 146. Há também a possibilidade de consultar as declarações do IRPF por um aplicativo disponível para tablets e smartphones.

+ Presidenciáveis propõem cortar IR e controlar juro

A Receita lembra que, a restituição fica disponível no banco durante um ano depois do pagamento. Se o contribuinte não resgatar o montante durante 12 meses, deverá requerer a restituição pela internet. Em casos que o valor não é creditado, o usuário deverá contatar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil.

O que fazer. Quem recebeu o dinheiro e tem dívidas, deve quitá-las o quanto antes, aconselha Leandro Rassier, professor de Finanças, Investimento e Banking, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS).  O contribuinte que tem um perfil conservador e recebe uma restituição abaixo de R$ 5 mil pode investir nos títulos públicos emitidos pelo Governo Federal por meio do Tesouro Direto.

Para quem recebeu mais de R$ 5 mil, o especialista recomenda investir nos fundos multimercado, que mesclam renda fixa e renda variável. Essa modalidade permite maior liberdade pois os gestores vão alocar os recursos das pessoas em várias tipos de ativos. Os mais conservadores podem apostar nos fundos de multimercado de baixa volatilidade e os mais arrojados no de alta volatilidade ou em um fundo de ações.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: