Conexão super rápida a 7 Gigas

Para transferência de dados em velocidades superiores a 5 Gigabits por segundo, a grande novidade é o uso da frequência de 60 Gigahertz (GHz). Vale a pena conhecer essa nova tecnologia.

Ethevaldo Siqueira

28 de julho de 2011 | 18h18

A grande novidade na área de conexões de alta velocidade é o uso da frequência de 60 GHz para transmissão de dados sem fio em até 7 Gigabits por segundo. A nova tecnologia, que tem o nome provisório de Wi-Gig (uai-ghig), poderá permitir, a partir de 2012, que as pessoas conectem computadores entre si ou a outros dispositivos, como tablets ou smartphones, aos televisores de telas planas e grandes dimensões.

São duas as vantagens da Wi-Gig:

Em primeiro lugar, a velocidade ainda maior do que as conexões USB 3.0, chegando a transferir 7 Gigabits por segundo. Com ela você transfere o conteúdo de um Blu-ray como o do Avatar, de 50 Gigabytes, em menos de um minuto. Em segundo lugar, permite conexões sem fio entre tomadas USB 3.0 e conexões HDMI (para alta definição).

Com essa tecnologia de 60GHz, podemos transferir todo o conteúdo de filmes ou imagens de nosso computador para a TV, mesmo com imagens de alta definição, em poucos minutos, sem usar cabos.

A Aliança Wi-Gig está desenvolvendo essa tecnologia, e o grupo acaba de anunciar as novas especificações que nos permitirão substituir as atuais gambiarras de fios que enroscam em nossos equipamentos.

Diferentemente da tecnologia Wi-Fi, que usa o espectro de rádio na faixa de 2,4 GHz e 5 GHz, a banda de 60 GHz permite transferência de dados mais rápida, mas é limitada a curtas distâncias. A banda de 60 GHz, como as de Wi-Fi, não precisam de licença. Isso significa que os fabricantes dos dispositivos de comunicação nessas faixas não  necessitam de autorização governamental para esses aparelhos.

Segundo Stephen Shankland, do portal CNET, a tecnologia utiliza a faixa de 60 GHz do espectro de frequências e é designada para transferir até 7 Gigabits por segundo, combina o que muitas conexões cabeadas permitem, tanto dentro de um chassis de computador como através da profusão de portas que estão abertas nas laterais do laptop.

As regras básicas de transferência de dados para a tecnologia de 60 GHz, desenvolvidas em concordância com o padrão 802.11ad do IEEE, foram publicadas em maio de 2011. A WiGig Alliance já aperfeiçoou o padrão, com sua versão 1.1, mas, mais importante do que isso, anunciou três especificações de alto nível que utilizam aquela base ou fundação:

1. A extensão WiGig Bus (WBE), que pode habilitar uma versão sem fio dos slots PCI Express (PCIe) usadas para conectar qualquer coisa – de cartões de vídeo a discos rígidos.

2. A Extensão Serial sem Fio (na sigla WSE, de Wireless Serial Extension) provê um link de comunicação serial em alta velocidade e fornece uma versão da nova tecnologia de conexão USB 3.0.

3. A tela da extensão sem fio (WDE, de Wireless Display Extension) controla o modo como os monitores externos ou os televisores podem ser conectados sem as versões sem fio de HDMI e dos conectores do tipo DisplayPort.

E a USB 3.0?

Vale a pena relembrar que a tecnologia das novas conexões USB 3.0 deverá estar no mercado até o começo de 2012. A tecnologia USB 3.0 é o grande salto das conexões USB de hoje (2.0) para uma conexão muito mais rápida, permitindo, por exemplo, a transferência de dados entre dispositivos, por exemplo, de um pendrive para um computador, a taxas da ordem de 10 vezes a velocidade das atuais USB 2.0 – ou seja, a 4,8 Gigabits por segundo. E mais: em operação em modo full-duplex, ou seja, transferência bidirecional de dados.

Tudo o que sabemos sobre:

60 GHzConexões rápidasUSB 3.0Wi-Gig

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.