O futuro em um cubo de cristal

Seis premissas para uma boa previsão do futuro, segundo o cientista Jean Paul Jacob.

Ethevaldo Siqueira

25 de julho de 2011 | 23h23

 Cubo em lugar da bola de cristal? Sim. É a proposta do cientista brasileiro Jean Paul Jacob, pesquisador emérito da IBM, para prever o futuro com maior confiabilidade e permitir que sejam identificadas as tendências e as possibilidades da tecnologia.

A proposta de Jean Paul Jacob é usar um cubo de cristal em lugar da bola de cristal. O cubo aqui é uma imagem virtual, uma comparação, porque o cubo tem seis faces, cada uma delas o método de Jean Paul trabalha com seis hipóteses ou premissas.

Para compreendê-las, precisamos responder a seis perguntas ou condições.

1. Vontade das pessoas. A inovação ou futuro atende à vontade das pessoas? Por outras palavras: “o que as pessoas querem?” É uma premissa óbvia.  Isso significa que a vontade das pessoas. Não vamos prever inventos e inovações tecnológicas que as pessoas não querem – que não tenham nenhuma utilidade, valor prático ou atenda a um desejo.

2. Atender às necessidades. Como as tendências e inovações poderão atender às necessidades ou desafios da sociedade – como, por exemplo, saúde, educação, habitação, entretenimento, trabalho, segurança, produtividade etc.

3. Viabilidade. Quais são as tecnologias nascentes ou em fase de aprimoramento que poderão viabilizar as invenções ou novidades? As tecnologias nascentes mais importantes de hoje são biotecnologia e nanotecnologia, entre outras. Podemos prever, portanto, diversas aplicações e produtos de cada uma delas – em especial na agricultura, na biologia e na medicina.

4. Legislação. As inovações previstas não poderão chocar-se se com a legislação no novo cenário tecnológico.

5. Tempo. Em quanto tempo as inovações ou o novo cenário se tornarão efetivos ou presentes? Quando serão factíveis? É uma premissa igualmente óbvia, porque temos que prever, com alguma lógica, quando essa tecnologia se tornará realidade. Teletransporte ainda vai demorar 30 ou 40 anos. A cura do câncer poderá ocorrer em 20 anos. A biotecnologia pode fazer uma revolução na agricultura e na medicina.

6. Explicação. Qual é o embasamento tecnológico em que se apoia a inovação ou avanço? Por outras palavras: qual é a explicação científica e das bases tecnológicas que tornam viáveis os novos produtos e suas aplicações? Qual é a explicação que está por trás dessa mágica?

A boa notícia é que Jean Paul Jacob será um dos keynote speakers do Fórum IBM, que será realizado em São Paulo nos dias 25 e 26 de agosto. Sua palestra aprofundará essas seis premissas para pensarmos o futuro.

Tudo o que sabemos sobre:

FuturologiaJean Paul Jacob

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.