Todos os conteúdos na nuvem

A cada dia, o universo digital da informação e da comunicação está sendo armazenado na nuvem. De qualquer lugar do planeta, poderemos acessar centenas de quatrilhões de páginas do Google, de bibliotecas e enciclopédias eletrônicas, de conteúdos de entretenimento e aplicativos. O melhor exemplo dessa tendência talvez seja o Projeto Ultravioleta, que nos permitirá acessar conteúdos audiovisuais em qualquer lugar do planeta.

Ethevaldo Siqueira

29 de julho de 2011 | 22h24

Um dos bons exemplos do que poderá fazer a nuvem por todos nós é o Projeto Ultravioleta. A partir de 2012, o mundo passará a usufruir as vantagens desse projeto colaborativo, que poderá beneficiar a maioria dos consumidores de conteúdo audiovisual. Já escrevi sobre esse projeto em abril passado, nas matérias de cobertura do NAB Show 2011, o grande evento realizado anualmente em Las Vegas.

Para quem não se lembra, o Projeto Ultravioleta resulta de um acordo colaborativo entre 60 empresas produtoras de conteúdo para facilitar o uso de dispositivos reprodutores (players) de DVDs, Blu-rays, CDs, videogames e outras mídias de conteúdo gravado, como filmes, shows, músicas, jogos e outros.

Pelas regras do projeto, ao comprar músicas, filmes ou jogos, o usuário escolherá os dispositivos por intermédio dos quais quer ter acesso a esses conteúdos que vai adquirir. Os dispositivos reprodutores poderão ser tanto os televisores, iPods, tablets, laptops, como consoles ou aparelhos reprodutores (players) de DVDs, CDs, software, videogames,  iPods ou tablets – até um limite de 12 – livros digitalizados ou nos quais o comprador deseja ver o conteúdo audiovisual adquirido.

Por outras palavras, depois de adquirir um game, DVD ou Blu-ray, por exemplo, eu poderei deixá-lo em casa e baixar seu conteúdo da nuvem onde estiver, em qualquer ponto do planeta? Cada disco, DVD ou outro conteúdo comprado nas lojas credenciadas pelo Projeto Ultravioleta ficará armazenado na nuvem e poderá ser acessado remotamente de qualquer lugar do mundo.

Você não precisará levar o seu DVD ou Blu-ray ou outros produtos (físicos) nos quais quer receber ou baixar conteúd, não importa onde foram adquiridos ou que produtor os fabricou.

O Projeto Ultravioleta foi concebido pela Universidade do Sul da Califórnia, como projeto colaborativo, com o apoio de 60 empresas e entidades de diferentes setores, entre as quais os estúdios de Hollywood e gigantes da tecnologia, como Microsoft, HP, Sony, Panasonic e Samsung. Das grandes empresas do setor de eletrônica de entretenimento apenas a Apple e os Estúdios Disney ainda não participam do Projeto Ultravioleta. Mas, na opinião do analistas, tudo é uma questão de tempo. Em breve, preveem eles, as duas empresas deverão aderir ao projeto Ultravioleta.

Minha conclusão: a cada dia mais, o universo digital da informação e da comunicação está sendo armazenado na nuvem. De qualquer lugar do planeta, poderemos acessar centenas de quatrilhões de páginas do Google, de bibliotecas e enciclopédias eletrônicas, de conteúdos de entretenimento e aplicativos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.