Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

‘Deixa eu buscar um melhor’ ou ‘deixa eu agarrar esse’?

Estadão

06 de junho de 2012 | 18h41

change_job_stocks_3.jpgCom a economia rodando em baixa velocidade, executivos estão cada vez mais preocupados com seu futuro profissional. O lado emocional fala mais alto e o resultado disso é um aumento na vontade de trocar de empresa.

Pesquisa da Michael Page, uma empresa de recrutamento de executivos, mostra que 73% dos profissionais têm esse objetivo em 2012 – um aumento de 12 pontos porcentuais em relação ao mesmo período do ano passado, quando 61% dos profissionais pretendiam trocar de emprego.

O levantamento foi feito no primeiro trimestre de 2012 com 2000 executivos em nível de média e alta gerência no Brasil. 

“Se a economia está parada, o executivo não vê perspectivas dentro da empresa onde atua. A razão fica de lado e ele avalia que o melhor é mudar de trabalho”, afirma Marcelo De Lucca, diretor executivo da Michael Page no Brasil.

De Lucca acredita que o cenário ainda é de “deixa eu buscar uma posição melhor”. Contudo, se os ventos na economia continuarem desfavoráveis e não houver uma melhora em 6 meses – principalmente em relação à crise europeia -, o lema para os executivos será outro: “deixa eu me agarrar nesse”.

Para o diretor executivo da Michael Page, uma troca de trabalho nesse momento de incerteza deve ser motivada, principalmente, por um projeto diferenciado. “É um bom motivo para mudar. Mas essas oportunidades vão ficar cada vez mais raras com a economia enfraquecendo”, afirma.

Setores – Entre os setores, a pesquisa da Michael Page aponta que o mais pessimista é o de Recursos Humanos – 64% dos entrevistados dizem não ter chance de crescer na companhia atual, uma alta de 14% sobre o período anterior.

O único setor otimista é o de Tecnologia, cuja perspectiva de crescimento aumentou de 41% para 54%.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: