Para investimento com foco no curto prazo, CDB de banco é recomendado

fabiogallo

31 de agosto de 2015 | 05h00

Eu não concordo em pagar o pacote de serviços do meu banco. Existe alguma forma de não pagar tarifa?

Sim, a resolução do Banco Central nº 3.919, de 2010, garante a todo cidadão ter conta bancária sem custo algum. Obviamente é uma conta com limitações de serviços. Todo cliente pessoa física que possuir conta de depósito à vista, tanto conta-corrente como de poupança, tem o direito de ter alguns serviços gratuitos. A referida resolução veda as instituições financeiras de cobrar, no caso da conta-corrente, pelo fornecimento de cartão com função débito e a segunda via do cartão, exceto quando o pedido for feito pelo correntista. Além disso, os serviços gratuitos – por mês – são limitados a dez folhas de cheques, quatro saques, dois extratos e duas transferências entre contas na própria instituição. No caso da conta poupança, são gratuitos: fornecimento de cartão com função movimentação e a segunda via (desde que não pedida pelo correntista), dois saques, duas transferências entre contas de depósito de mesma titularidade, dois extratos com a movimentação dos últimos trinta dias. Nos dois tipos de contas as consultas via internet são ilimitadas e é proibido cobrar pela prestação de qualquer serviço por meios eletrônicos, no caso de contas cujos contratos prevejam utilizar exclusivamente meios eletrônicos. A mesma resolução estabelece, no 1º artigo, que a cobrança de tarifas somente pode ocorrer se “no contrato firmado entre a instituição e o cliente ou ter sido o respectivo serviço previamente autorizado ou solicitado pelo cliente ou pelo usuário”. Os clientes devem ficar atentos e conferir os extratos para verificar se as cobranças pelos serviços estão dentro do previsto.

Vou começar a investir, mas não tenho muito. Quais são as melhores opções? Poupança ainda vale a pena?

A caderneta de poupança é uma opção útil somente para quem tem poucos recursos para aplicar, está pensando em guardar recursos para emergências e/ou tem dificuldades para tentar investir em outros títulos porque não tem fácil acesso a instituições financeiras ou tem pouco conhecimento do mercado financeiro. A caderneta de poupança é de aplicação muito fácil, não tem custo algum e não tem incidência de Imposto de Renda. Em contrapartida, rende muito pouco. Neste ano o rendimento da poupança ficará abaixo da inflação. Como você está começando no campo dos investimentos, o primeiro passo é definir seus objetivos financeiros. Por exemplo, você pode definir como plano guardar dinheiro para comprar o seu primeiro carro, comprar a tão sonhada casa própria ou fazer um curso no exterior. Definido o objetivo você saberá o prazo em que precisará desses recursos, portanto, o prazo que poderá deixar o dinheiro investido e qual a importância desses recursos. Dessa forma, você conseguirá estabelecer o nível de risco a ser corrido e assim quais os títulos mais adequados. Por exemplo, se você tem como objetivo investir pensando na aposentadoria, o prazo previsto é longo e a importância desses recursos é grande. Assim, o grau de risco que pode ser corrido nesse caso é médio. As aplicações mais indicadas são títulos do Tesouro Direto ou fundos de previdência privada, como PGBL ou VGBL. No caso de objetivos de mais curto prazo, você pode optar por um CDB ou diversos tipos de fundos de renda fixa. Essas aplicações podem ser feitas mesmo que você não tenha muito dinheiro para investir. No Tesouro Direto o investimento começa a partir de R$ 30. A dica é você planejar muito bem a sua vida financeira, buscar conhecimento sobre os diversos tipos de investimento e se dedicar: se você está disposto a poupar certo valor por mês, faça isso de maneira religiosa.

Tenho uma reserva separada e só precisarei dela daqui seis meses. Qual opção é mais rentável, equilibrando segurança e retorno?

Uma opção para esse prazo é investir em CDB. Este tipo de investimento é fácil de ser feito: basta consultar as rentabilidades oferecidas pelos bancos. Não há custo na aplicação e há garantia até R$ 250 mil pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC). As taxas de retorno oferecidas são em relação ao CDI – base de juros de mercado. Por exemplo, 97% do CDI. Hoje o CDI anualizado está em 14,30%, assim, a rentabilidade neste exemplo seria equivalente a 13,87% ao ano (97% de 14,30%). Obviamente, o valor recebido deve ser considerado em relação ao período efetivo de aplicação. Além disso, sobre o rendimento bruto obtido haverá Imposto de Renda retido na fonte com a alíquota de 22,5%. Apenas como comparação, a caderneta de poupança deve render no acumulado do ano algo como 7,8% – para uma inflação em torno de 9,6%. A rentabilidade oferecida pelos bancos depende de negociação, sendo que para aplicações de maior valor sempre são oferecidas melhores taxas. Vale a pena também cotar as taxas de Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA). São investimentos interessantes, mas usualmente exigem um volume maior de recursos e prazo de aplicação superior a seis meses. São títulos também com garantia do FGC, mas não sofrem cobrança de Imposto de Renda.

Tudo o que sabemos sobre:

poupança

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: