Conheça seus direitos ao quitar um imóvel

fabiogallo

08 de agosto de 2016 | 08h15

Irei fazer um intercâmbio de pós-graduação em Toronto por dois anos. Gostaria de saber qual é a melhor forma para minha família enviar dinheiro para mim.

A melhor forma, no seu caso, é transferência bancária por ordem de pagamento. O Banco Central (BC) autoriza a remessa de valores para o exterior por meio de instituições autorizadas, que podem ser feitas por meio de ordem de pagamento ou pelos Correios. A remessa pelos Correios é relativamente mais fácil e barata, mas depende de ter um convênio do Brasil com o país estrangeiro, o que não há no caso do Canadá. A lista completa de países pode ser encontrada no site dos Correios. Você pode consultar a “Cartilha de Câmbio para envio e recebimento de pequenos valores” do BC para mais informações. A dica é pesquisar entre as instituições para obter melhores taxas e custos de operação mais baixos. Não deixe de verificar o Valor Efetivo Total (VET), que representa todo o custo da operação. Nesse caso, o site do BC também facilita a nossa vida, porque lá você encontra o ranking do VET. Na referida página, basta informar o tipo de operação desejada, a moeda, país e quanto será enviado. Como resposta, são listadas as instituições por ordem de valor do VET total. Outra maneira de remessa de recursos é a utilização de um cartão pré-pago internacional, que pode ser recarregado do Brasil. Sobre as operações de envio de moeda para o exterior para fins estudantis não há incidência de imposto de renda, mas ocorre o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) com alíquota de 0,38% na compra de dinheiro em espécie. Nos casos de cartão pré-pago, cartão de crédito ou saque em conta corrente, a alíquota de 6,38%.

Fiquei desempregado recentemente e tenho um valor a receber fruto de uma previdência privada patrocinada, cujo valor é suficiente para quitar um imóvel financiado pela Caixa. Gostaria de saber se, na quitação, tenho direito a algum desconto, principalmente em relação a seguros.

Em toda a quitação antecipada de imóvel, a instituição financeira tem o dever de descontar os juros embutidos nas prestações a vencer. Entendo que, por seu desejo, qualquer tipo de cobrança de seguro também deve ser descontado do valor. As tarifas e seguros fazem parte das prestações, compostas de encargo principal, mais os encargos acessórios. Nos acessórios, há seguros de Morte e Invalidez Permanente (MIP), Danos Físicos ao Imóvel (DFI) e o Fundo Garantidor da Habitação Popular (FGHAB). O MIP é calculado com base no valor do financiamento na contratação ao porcentual de pactuação de renda do participante. O DFI sobre o valor de avaliação do imóvel. O FGHAB cobre o caso de perda de renda ou emprego. Você paga somente 5% do valor do encargo mensal e pode utilizá-lo pelo prazo de 36 meses. Antes de qualquer decisão financeira, é recomendável definir fazer contas. Via de regra, quitar o imóvel é melhor, porque você paga mais juros no financiamento do que potencialmente irá receber de rentabilidade em aplicações financeiras. Mas, no seu caso, há a questão do desemprego e uma reserva financeira é essencial. Vá até a Caixa e veja as condições de seu contrato, avalie com calma e tome a decisão que o deixar mais confortável.

Tendências: