Era para ser um massacre contra Mantega, mas Fraga decepcionou, diz FT

Era para ser um massacre contra Mantega, mas Fraga decepcionou, diz FT

Blog de jornal britânico mostra decepção com desempenho de Armínio Fraga em debate contra Guido Mantega e diz que PSDB precisa desconstruir ideia de que "o que é bom para os mercados é ruim para as pessoas"

Fernando Nakagawa / Twitter @fnakagawa

13 de outubro de 2014 | 08h26

LONDRES – Era para ser um massacre a favor de Armínio Fraga, mas o resultado foi decepcionante. É assim que o blog do jornal britânico Financial Times sobre mercados emergentes, o BeyondBrics, avalia o debate entre os dois representantes econômicos das candidaturas de Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). Guido Mantega deveria ser um “alvo fácil”, mas Fraga pecou por um “pragmatismo frio e detalhes técnicos de um banqueiro central”, diz o blog.

gn fraga mantega
Perfil. Mantega é “populista e coerente” e Fraga, “frio e técnico” / Divulgação

No texto “Em confronto com Mantega, Fraga decepciona”, o blog do FT comenta o debate entre Fraga e Mantega transmitido pela GloboNews na noite de quinta-feira. “Era para ser um dos maiores massacres da eleição do Brasil”, diz o texto que cita as fragilidades da atual gestão econômica, como o crescimento de “mísero 0,2%”, inflação acima da meta e o discurso do governo que culpa a crise internacional pelos problemas do Brasil. “Em suma, Mantega deveria ter sido um alvo fácil”.

O FT reconhece que o discurso de Fraga contra Mantega “certamente tinha os argumentos corretos”. “O governo precisa corrigir o modelo econômico, combater a inflação, aumentar o investimento, atrair capital, construir credibilidade e reduzir os empréstimos desnecessários do BNDES”, diz o blog ao enumerar os argumentos do assessor econômico do candidato tucano. “O que é música para os ouvidos dos investidores”.

Fraga e o PSDB precisam encontrar uma maneira de transmitir a mensagem econômica para a média da população brasileira e desconstruir a crença comum de que o que é bom para os mercados é ruim para as pessoas e vice-versa”, diz o FT.

Apesar disso, o resultado não foi tão favorável a Fraga. “Enquanto Mantega falou como um político confiante com narrativas populistas e coerentes (embora um pouco falhas), Fraga respondeu em grande parte com um pragmatismo frio e detalhes técnicos de um banqueiro central”, diz o FT. O blog reconhece que, após os anos do ministro Mantega, o mercado recebe positivamente esse pragmatismo de Fraga. “No entanto, não são essas pessoas que Fraga tem de convencer”, diz, ao comentar que a maioria do mercado já vota em Aécio.

“Fraga e o PSDB precisam encontrar uma maneira de transmitir a mensagem econômica para a média da população brasileira e desconstruir a crença comum de que o que é bom para os mercados é ruim para as pessoas e vice-versa”, diz o FT.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.