Fundador do Alibaba reclama da tributação e legislação do Brasil

Fundador do Alibaba reclama da tributação e legislação do Brasil

Homem mais rico da China reclama do ambiente de negócios do Brasil e diz que pretende viajar ao País em 2015 para tratar do tema

Fernando Nakagawa / Twitter @fnakagawa

24 de janeiro de 2015 | 14h57

DAVOS, SUÍÇA – Responsável pela maior oferta de ações da história nos Estados Unidos e homem mais rico da China, o fundador e presidente-executivo do Grupo Alibaba, Jack Ma Yun, reclamou do ambiente de negócios do Brasil e disse que pretende viajar ao Brasil durante 2015 para tratar do tema, já que pretende expandir os negócios para o País.


Difícil. Jack Ma diz que leis e impostos dificultam negócios no Brasil / WEF

“O Brasil tem muitas regras, taxas de importação e legislação”, disse Jack Ma Yun ao Broadcast, serviço de noticiário em tempo real da Agência Estado, durante o Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça. Maior grupo de comércio eletrônico do mundo em vendas, o Alibaba tem sede na China e escritórios em Hong Kong, Taiwan, Índia, Reino Unido e Estados Unidos. Sobre o Brasil, disse que “tem muitas coisas a fazer lá”.

Diante do desejo de ampliar negócios com o País e das dificuldades enfrentadas no mercado brasileiro, o empresário chinês disse que “poderia ir para o Brasil tentar falar sobre esses problemas”. “Eu tentarei ir este ano”, disse.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.