Limite da web fixa é menor no Brasil; chilenos têm 500 GB

Limite da web fixa é menor no Brasil; chilenos têm 500 GB

Enquanto brasileiros terão entre 30 gigabytes (GB) e 50 GB nos planos mais baratos, clientes em países como Alemanha, Chile e Estados Unidos têm franquias bem maiores. Parte do mesmo grupo da Vivo, Movistar oferece 500 GB nos planos mais baratos e O2 tem franquia de 100 GB

Fernando Nakagawa / Twitter @fnakagawa

22 de abril de 2016 | 07h58

LONDRES – Os limites impostos pelas maiores operadoras para a internet  fixa no Brasil são menores que os usados no exterior. Enquanto brasileiros terão entre 30 gigabytes (GB) e 50 GB nos planos mais baratos, clientes em países como Alemanha, Chile e Estados Unidos têm franquias bem maiores. Chilenos, por exemplo, contam com 500 GB mensais no plano mais barato em uma empresa que é do mesmo grupo da Vivo. Pesquisa no Reino Unido mostra que, na média, casa residência britânica usou 82 GB por mês em 2015.


Pior. Limite é menor que praticado nos Alemanha e EUA / Creative commons

 

Dados disponíveis nas páginas das duas principais operadoras brasileiras mostram que os planos de banda larga fixa mais econômicos contam com limite de uso de dados de 30 GB na NET e 50 GB na Vivo. Essas são os limites para planos com velocidade de transmissão de 2 Mbps e 4 Mbps, respectivamente em cada operadora, comercializados na cidade de São Paulo.

O limite brasileiro é inferior ao praticado no exterior. No Chile, por exemplo, a Movistar oferece o plano mais barato com limite de 500 GB por mês.  O teto dos chilenos é 16 vezes maior que o oferecido pela NET ou dez vezes mais que da Vivo. Na Alemanha, a O2 oferece 100 GB na opção mais econômica. Movistar, O2 e Vivo são controladas pelo grupo espanhol  Telefónica. Nos Estados Unidos, a AT&T tem franquia mínima de 250 GB mensais e a Comcast pratica limites diferentes conforme a localidade, mas a média é 300 GB por mês.

 

Chile. Movistar oferece 500 GB no plano mais barato / Reprodução


Além da diferença para outros países, os planos mais baratos do Brasil podem oferecer franquia menor que a média usada pelas residências. Pesquisa do órgão regulador das telecomunicações do Reino Unido, o Ofcom, revelou que cada residência britânica com banda larga fixa usou na média 82 GB por mês em 2015. O consumo de dados aumentou 41% na comparação com o ano anterior. Para efeito de comparação, o consumo médio de dados nos celulares correspondeu a cerca de 1% da média usada na internet fixa ou 870 MB por mês, segundo a pesquisa britânica.

Play. Britânicos usam 82 GB por mês em 2015, sendo 65% para vídeos / Ofcom

“Uma combinação entre banda larga mais rápida e o amplo uso de serviços multimídia está resultando em aumento dos volumes de dados”, cita o relatório da entidade. A Ofcom estima que atualmente 65% do uso da internet fixa é consumido exclusivamente em serviços de vídeo como YouTube e Netflix. A pesquisa cita que mais de 80% dos clientes britânicos têm internet fixa sem limite de dados.

 

Trecho de reportagem publicada no Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado

Tendências: