Pilotos da TAP aprovam indicativo de greve de 10 dias em maio

Pilotos da TAP aprovam indicativo de greve de 10 dias em maio

Em meio ao processo de privatização, pilotos aprovam greve a partir de 1º de maio contra venda da empresa portuguesa

Fernando Nakagawa / Twitter @fnakagawa

16 Abril 2015 | 11h58

LONDRES – Os pilotos da companhia aérea portuguesa TAP aprovaram na noite de quarta-feira o indicativo de greve contra o processo de privatização da empresa. O chamado “pré-aviso” aponta para a paralisação da TAP entre os dias 1º e 10 de maio se os pedidos dos trabalhadores não forem atendidos. A direção da aérea reagiu e afirma que o caminho adotado pelos pilotos pode ser “perigoso”. A TAP é a empresa aérea com mais voos entre o Brasil e a Europa.

TAP_Portugal_A320-200_CS-TMW_FRA_2011-7-8
No chão. Greve de 10 dias pode prejudicar passageiros brasileiros / Wikimedia

Na noite de quarta-feira, 15, uma assembleia que contou com mais de 300 pilotos aprovou com ampla maioria a indicação de greve para o início do próximo mês. Na reunião, 80% dos presentes apoiou a paralisação. O sindicato dos pilotos argumenta que a TAP não cumpre dois acordos em vigor. O primeiro previa atualização de alguns benefícios salariais. O segundo compromisso previa que, em caso de privatização, 20% das ações deveriam ser oferecidas inicialmente aos pilotos.

A greve deverá prejudicar passageiros brasileiros, já que a empresa portuguesa opera mais de 80 voos semanais entre Portugal e 12 cidades no Brasil: Belém, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Fortaleza, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.  

A direção da empresa aérea presidida pelo brasileiro Fernando Pinto lamentou a indicação de greve. Para a companhia, os empregados estão sendo “insensíveis aos apelos de bom senso” e a opção pela greve pelo período citado poderia conduzir a empresa “a um caminho perigoso”. A greve de dez dias poderia ter efeitos dramáticos para as contas já combalidas da estatal portuguesa enquanto o governo corre para tentar vender a empresa ainda neste semestre.

Trecho de reportagem publicada no Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado