Pobres perderam mais renda que ricos na crise

Pesquisa revela que os pobres dos países desenvolvidos foram os que mais sofreram com a crise financeira e a Espanha liderou o processo de aumento da desigualdade

Fernando Nakagawa / Twitter @fnakagawa

20 de junho de 2014 | 08h57

LONDRES – Pobres e ricos perderam dinheiro com a crise que se arrasta há mais de cinco anos.  Mas uma pesquisa da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) revela que o fenômeno castigou mais quem tem menos. Enquanto a renda média dos 10% mais ricos caiu a um ritmo anual de 0,78% entre 2007 e 2011, a perda da renda dos 10% mais pobres foi o dobro: 1,61% por ano.

pobreza_basura_int.jpg
Mais com menos. Espanha lidera aumento da desigualdade / Reuters

“Famílias de baixa renda perderam mais durante a crise ou se beneficiaram menos da recuperação. Nos 33 países onde há dados disponíveis, os 10% mais ricos tiveram resultado melhor que os 10% mais pobres em 19 países”, diz o estudo da OCDE que avaliou os países que fazem parte da entidade, sendo a maioria desenvolvidos.

Entre os países, a Espanha foi o país onde a desigualdade mais aumentou entre 2007 e 2011. Nesse período, a renda dos 10% mais pobres da Espanha caiu a um ritmo anual de 12,9%. Já os 10% mais ricos tiveram queda menos acentuada: 1,4%. Isso é resultado especialmente do aumento do desemprego, o que aumentou a diferença de renda entre os que têm e não têm salário.

Para efeito de comparação, a renda dos 10% mais pobres permaneceu estável na Alemanha, houve ligeira alta anual de 0,2% no Reino Unido e queda de 1,3% nos Estados Unidos no mesmo período. No grupo dos mais ricos, a renda média cresceu 0,8% por ano na Alemanha, aumentou 0,9% nos EUA e recuou 0,5% no Reino Unido.

 

 

Tendências: