Real é moeda que mais ganhou espaço nas casas de câmbio inglesas

Real é moeda que mais ganhou espaço nas casas de câmbio inglesas

Fernando Nakagawa / Twitter @fnakagawa

08 de setembro de 2014 | 15h45

Muito longe dos gramados e dos gols da Alemanha, a Copa do Mundo terminou com um ótimo resultado para o Brasil. Na verdade, para o dinheiro do Brasil. Na principal rede de casas de câmbio do Reino Unido, o real brasileiro levou o título de moeda com maior crescimento no volume negociado do verão de 2014. Com a procura dos torcedores ingleses, a venda de reais saltou 215% na comparação com um ano antes.
Cadê? Chegou a faltar reais em casas de câmbio de Londres / Estadão

Mais de 11.500 mil endereços do The Post Office – as lojas do serviço de correios e suas autorizadas – oferecem o serviço de troca de dinheiro e mais de 70 moedas são negociadas pela empresa. Entre todas elas, o real foi a que teve maior aumento na negociação entre junho e agosto de 2014 na comparação com igual período do ano passado. “O apetite dos torcedores ingleses para a Copa do Mundo fez o real brasileiro ser o campeão de crescimento no verão de 2014”, destaca o balanço da área de câmbio do Post Office.

A procura disparou nos dias que antecederam o mundial de futebol. Em alguns locais como nos aeroportos de Londres e Manchester, a demanda saltou mais de 1000%. Isso fez com que as garoupas das notas de R$ 100 e as onças da cédula de R$ 50 desaparecem por alguns dias para os britânicos. No início de junho, o Post Office registrou pico com aumento de 400% na demanda pelos reais. O fenômeno foi considerado “sem precedentes” pela área de câmbio da empresa.

Sem nenhuma vitória no mundial, um vexatório quarto lugar na primeira fase e a precoce desclassificação da Inglaterra da Copa, a procura pelos reais caiu. Mesmo assim, o volume negociado no acumulado do verão cresceu 215%, ritmo muito superior ao registrado pelo dong vietnamita, segunda moeda com maior crescimento no verão: alta de 33%. O ranking com as moedas que mais cresceram ainda tem o florim húngaro (+26%), dólar de Trinidad e Tobago (+21%), dólar jamaicano (+19%), coroa croata (+13%), dólar norte-americano (+12%), coroa dinamarquesa e rúpia das Ilhas Maurício (+11%) e coroa islandesa (+9%). O Post Office não informa o volume negociado de cada moeda. A empresa informa apenas que todas as divisas incluídas no ranking registraram negociação anual superior ao equivalente a 400 mil libras esterlinas – cerca de R$ 1,5 milhão.


Crescimento. Negócios com o real foram os que mais aumentaram / R

Tendências: