Prédio que virou ‘fritadeira’ é coberto por guarda-sol gigante em Londres

Essa foi a solução encontrada por arquitetos e engenheiros contratados pela empresa proprietária do arranha céu em construção que, literalmente, fritou carro Jaguar e fachadas de lojas

Fernando Nakagawa / Twitter @fnakagawa

05 de junho de 2014 | 11h00

LONDRES – Com a proximidade do verão no Hemisfério Norte, o prédio espelhado de Londres que virou ‘fritadeira’ recebeu uma cobertura de tecido que funciona como um para-sol gigante.

Essa foi a solução encontrada por arquitetos e engenheiros contratados pela empresa proprietária do arranha céu em construção que, literalmente, fritou um carro Jaguar e a fachada de lojas em uma rua no centro financeiro de Londres no ano passado.

 

Reprodução/Corriere Della Sera

Após raios, Jaguar saiu retorcido (Reprodução)

O prédio tem a fachada coberta com placas de vidro que, graças ao formato do edifício, concentram os raios solares. Isso acontece graças ao formato côncavo das paredes espelhadas, o que transforma o edifício em um objeto gigante que captura a luz e o calor do sol e reflete tudo de forma concentrada para um pequeno trecho da rua do próximo quarteirão.

No verão do ano passado, a imponente torre de vidro de 37 andares passou a refletir intensamente os raios solares para um ponto a cerca de 100 metros do prédio.

O que parecia apenas um inofensivo ponto de claridade ganhou o apelido de “fritadeira” depois que um Jaguar teve parte da lataria deformada enquanto o carro estava estacionado sob os raios vindos do edifício 20 Fenchurch Street.

Em frente ao veículo, lojas tiveram a pintura danificada, tapetes e produtos na vitrine ficaram chamuscados e até um pedaço do pavimento foi descolado.

@justinkeeble

Prédio reflete e concentra luz  (@justinkeeble)

Agora, a dona do edifício diz que os problemas acabaram. Uma empresa vai instalar um para-sol gigante modelo “brise soleil” que ficará do lado de fora da fachada e promete acabar com o efeito fritadeira sem desfigurar o prédio.

O dono do Jaguar preto danificado pelos raios no ano passado recebeu uma indenização £ 1.000 ou cerca de R$ 3.700. Bem pouco para os donos do 20 Fenchurch Street, um projeto de £ 200 milhões ou R$ 750 milhões.

View Larger Map
Subindo. Prédio em construção no centro de Londres via Google Street View

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.