Brasil ganha Grand Prix em categoria de entretenimento de Cannes Lions

Brasil ganha Grand Prix em categoria de entretenimento de Cannes Lions

Fernando Scheller

18 de junho de 2019 | 16h09

O segundo dia do Cannes Lions – Festival Internacional de Criatividade trouxe um prémio inédito para o Brasil: um Grand Prix (grande prêmio) na categoria Entertainment Lions for Music, dedicada a trabalhos criativos que transitam pelo universo da música. A premiação está também ligada ao Lions Entertaniment, um dos eventos paralelos de Cannes Lions.

Equipe da Akqa recebe Grand Prix em Cannes Lions (Foto: Soraya Ursine/Estadão)

O Grande Prêmio foi conquistado pela agência Akqa – com Stink Films e Coala.lab – para o trabalho relacionado ao lançamento do segundo álbum do rapper Baco Exu do Blues, intitulado Bluesman. O clipe e a plataforma de lançamento foram “empacotados” em um projeto que discutiu a divisão racial no Brasil. Apesar de serem a maioria da população, os negros ganham em média 42% menos e têm duas vezes mais chances de serem vítimas de violência do que os brancos.

Com esses dados em mãos, a equipe da Akqa retrabalhou toda a simbologia de imagens das peças ligadas ao álbum para propor a reflexão sobre os conceitos de raça atuais. O filme, por exemplo, mostra um personagem negro correndo, apenas para desafiar a (provável) expectativa do espectador – a pessoa corre porque está atrasada para o trabalho, e não porque cometeu um crime.

Assista abaixo ao vídeo de “Bluesman”, vencedor do Grand Prix em Cannes Lions

“Nós escolhemos Bluesman como o Grand Prix do ano porque é brilhante, é um trabalho de arte e é feito com classe”, disse a presidente do júri de Entertainment Lions for Music, Paulette Long. “O curta-metragem (que ajudou a lançar o álbum) reverte a simbologia da dominação branca para combater o racismo institucionalizado.”

Diretor executivo de criação da Akqa, Hugo Veiga afirmou ao Estado que todas as peças do lançamento reforçaram a intenção de empoderar a comunidade negra. Ele lembra que esse tipo de representação positiva, rara tanto no entretenimento quando na propaganda produzida no País, acabou por gerar um movimento de homens e mulheres que se autodeclararam “Bluesman”. “Usamos como atores membros da Ocupação 9 de Julho, que é um símbolo de resistência em São Paulo.”

Colocar o dedo na ferida do racismo na sociedade brasileira acabou ajudando também no objetivo central da campanha, que era dar visibilidade ao trabalho do rapper brasileiro. “O Baco é um gênio, e o mundo precisa ouvir a música dele. O Brasil tem tantas coisas boas, mas está vivendo um momento pesado como nação, sem autoestima. Ver um talento baiano ganhando holofotes no mundo dá esperança a muita gente”, diz Diego Machado, fundador e diretor de criação da Akqa.

Mais prêmios. O júri de Entertainment Lions for Music atribuiu outro Grand Prix ao Brasil – pelo trabalho This is America, do rapper americano Childish Gambino (“persona” musical do ator Donald Glover). A peça foi inscrita no festival pelo publicitário brasileiro Daniel da Hora, da DH, LO  (com autorização dos realizadores, o que é permitido nas regras de Cannes Lions, segundo ele). Ao Estado, o próprio Daniel disse que trata-se de um prêmio dos EUA, e não brasileiro. Na cerimônia de premiação, os americanos receberam o Grande Prêmio.

Assista abaixo ao clipe de “This Is America”, do rapper Childish Gambino:

Ainda na mesma categoria, o Brasil ainda levou um Leão de Ouro (para uma campanha da Artplan sobre violência contra as mulheres, desenvolvida para o governo federal) e um bronze (Talent Marcel, para a Orquestra Sinfônica de São Paulo – Osesp). Cada Grand Prix “engorda” a conta de Leões de ouro do País em duas unidades. Sendo assim, o País contabilizou seis Leões na categoria (isto é, se o segundo Grande Prêmio não ser repassado aos EUA até o fim do festival).

O desempenho também foi positivo em Entertainment Lions for Sport. Foram três Leões: um de ouro (VMLY&R para Vivo), uma prata (NBS para o clube Flamengo) e um bronze (Tech and Soul para Uber). O País não recebeu nenhuma premiação em Entertainment Lions.

Em Digital Craft, que analisa o resultado artístico de campanhas feitas em meios digitais, o Brasil ganhou um bronze (FCB Brasil para o site Congresso em Foco). Em Film Craft, uma campanha da Wieden+Kennedy para a Lacta ficou com um Leão de ouro.

Em Industry Craft, foram sete Leões. Três pratas, sendo duas para BETC/Havas e Puma e outra para AlmapBBDO e Alpargatas/Havaianas. A categoria ainda trouxe quatro bronzes: dois para Almap (Ambev e Alpargatas/Havaianas), um para CP+B (Diageo/Johnnie Waker) e outro para Wunderman/Thompson (Avon).

Tendências: