Coluna Teaser: iFood terá assinatura mensal de entrega e ‘Baixinho da Kaiser’ vende vinho

Coluna Teaser: iFood terá assinatura mensal de entrega e ‘Baixinho da Kaiser’ vende vinho

Fernando Scheller

29 de julho de 2019 | 10h39

Guerra dos apps: iFood enfrenta Rappi com serviço ‘Plus’

iFood agora terá serviço com pagamento mensal, e não por entrega (Foto: iFood)

A concorrência entre o iFood e o Rappi promete ficar mais acirrada: assim como o concorrente tem o serviço Rappi Prime – que garante frete grátis via um pagamento mensal –, o iFood vai começar a testar, com 65 mil consumidores de São Paulo e Goiânia, seu serviço Plus.

A novidade será gratuita nos primeiros três meses e deve ser estendida à  base do app aos poucos. Depois do perí­odo de testes, o valor da assinatura vai variar de R$ 14,90 a R$ 44,90, sendo que os planos mais caros darão direito a mimos e entrega prioritária. Com atuação em 500 municípios no Brasil, o iFood faz 18 milhões de entregas por mês.

As duas empresas disputam palmo a palmo o mercado de conveniência, fazendo entregas de restaurantes e também de compras de supermercados.

Baixinho da Kaiser subiu na vida e agora toma vinho

Valien, o Baixinho da Kaiser, em campanha para a Wine (Foto: Wine)

Uma nova campanha “ressuscita” um dos mais icônicos garotos-propaganda do Brasil: o ator José Valien Royo, mais conhecido do público como o “Baixinho da Kaiser”. 

Agora, ele retorna em uma campanha da agência Innova AATB para o clube e e-commerce de vinhos Wine. 

A campanha online vai trazer Royo em conteúdos bem-humorados. O objetivo é comunicar que, com 140 mil sócios, o Wine é o maior clube de vinhos global.

Making Of: Desenho animado feito no Brasil, para gringo ver

Livros também foram desenhados no Brasil (Foto: Consultado)

A produtora brasileira Consulado ficou a cargo de uma campanha feita pela agência Energy BBDO, de Chicago, para incentivar a leitura entre crianças norte-americanas e mostrar a importância da prática de atividades ao ar livre pelos pequenos.

Por isso, a marca desenvolveu versões de contos clássicos mostrando o que ocorreria se personagens como os Três Porquinhos, Cinderela e João (do pé de feijão) decidissem ficar em casa em vez de sair e se aventurar pelo mundo.

Os livros e filmes – desenvolvidos para uma campanha da marca de repelentes Off, com o título de Os Contos que Nunca Começaram – são todos “made in Brazil”. Os livros, em inglês, podem ser baixados no site da campanha. Duas das histórias ganharam versões animadas – Peter Pan e João e o Pé de Feijão.

Cenp amplia conceito de veículo de comunicação

O Conselho Executivo das Normas Padrão (Cenp), que ajuda a balizar o mercado de publicidade no Brasil, tomou a decisão de classificar como veículos de comunicação: qualquer ente jurídico individual que tenha deferido receitas decorrentes de sua capacidade de transmissão de mensagens de publicidade.

Esse guarda-chuva passou a incluir também redes sociais, ferramentas de busca e plataformas de áudio e vídeo­. Isso quer dizer, na prática, que o Cenp passa a considerar Google, Facebook, Spotify e YouTube dentro da categoria de veículos de comunicação, ao lado de plataformas de mí­dia tradicional, como jornais, revistas, rádio, companhias de míd­ia externa e emissoras de televisão.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.