Coluna Teaser: Veja campanha que ajudou Burger King a ser anunciante mais criativo em Cannes

Coluna Teaser: Veja campanha que ajudou Burger King a ser anunciante mais criativo em Cannes

Fernando Scheller

24 de junho de 2019 | 06h32

Burger King é o anunciante mais criativo de 2019

O Burger King foi o anunciante mais criativo em Cannes Lions 2019 por ter sido a marca que mais ganhou prêmios com suas campanhas. Os dois trabalhos que levaram o Burger King ao título provocavam diretamente o McDonald’s. O americano “Desvio do Whopper” dava brindes a consumidores que pediam o principal produto da rede pelo celular, nas proximidades de uma loja do McDonald’s. Já “Anúncio Grelhado”, do Brasil, incentivava que consumidores queimassem virtualmente anúncios da rival por meio de um app – em troca de um hambúrguer grátis.

Clique aqui para ler reportagem do ‘Estadão’ da época do lançamento da campanha

Presidente da Colômbia em clima de campanha

Foi com um aviso um tanto inocente que Juan Carlos Ortiz, presidente da DDB Latina, apresentou o painel comandado por Ivan Duque, presidente da Colômbia. “Ele não está aqui como político. Não veio falar de política, mas sobre criatividade.” Duque, que assumiu a presidência em agosto, aos 42 anos, falou da “economia laranja”, que privilegia setores como publicidade, entretenimento, inovação, games, produção audiovisual, moda e tudo que é ligado à criatividade. Hoje, essas atividades já movimentariam US$ 6 bilhões na Colômbia, segundo Duque. “É quase o que o café gera em riquezas”, comparou.

Duque, presidente da Colômbia, cercado pela mídia do país, em Cannes Lions (Foto: Soraya Ursine/Estadão)

Cambridge Analytica cancela aparição de última hora

Uma das palestras mais aguardadas de Cannes Lions acabou não acontecendo: a presença de Alexander Nix, fundador da Cambridge Analytica, consultoria que captou ilegalmente dados de 87 milhões de pessoas no Facebook, em um painel comandado pelo Financial Times. As ferramentas da consultoria teriam influenciado o plebiscito que levou ao Brexit (saída do Reino Unido da União Europeia) e também a eleição americana de 2016, que resultou na vitória de Donald Trump. Cerca de uma hora antes do evento, o festival anunciou que ela não aconteceria, sem explicar a razão. Procurado, o jornal também não se pronunciou.

Tendências: