Em dois dias de Cannes Lions, Brasil já supera a marca de 30 Leões em 2021

Em dois dias de Cannes Lions, Brasil já supera a marca de 30 Leões em 2021

Fernando Scheller

22 de junho de 2021 | 10h59

O Brasil acumulou mais prêmios no segundo dia do Cannes Lions – Festival Internacional de Criatividade. Apesar da forte queda no total de inscrições, as agências e anunciantes nacionais já passaram da marca de 30 Leões no festival de 2021. Vale lembrar, porém, que a premiação deste ano se refere a peças produzidas em 2020 e 2021, uma vez que, por causa da pandemia de covid-19, a premiação foi interrompida no ano passado.

Campanha de Salla, realizada pela Africa (Crédito: Africa)

O País agora chegou a 31 Leões, incluindo mais três de ouro. Um dos destaques do Brasil na premiação de 2021 tem sido a campanha “Save Salla”, criada pela agência Africa. Cheia de bom humor, a peça publicitária também chama a atenção para a questão das mudanças climáticas.

A agência criou uma candidatura “improvável” para a gelada cidade de Salla, na Finlândia, para sediar a Olimpíada de Verão de 2032. Na verdade, tratava-se de um “stunt” (pegadinha) para falar sobre aquecimento global (assista ao vídeo abaixo para entender mais).

Outros Leões

Nesta terça-feira, a campanha “Save Salla” trouxe três Leões de ouro para o Brasil, sendo dois em PR Lions (ações voltadas a relações públicas e assessoria de imprensa) e um em Direct Lions (campanhas em que há contato direto com o consumidor).

Ainda em Direct Lions, a Africa trouxe mais dois Leões de bronze: um para “Save Salla” e outro para uma ação para a Ambev. Em PR, além dos dois ouros, a campanha para a cidade da Finlândia também ganhou um bronze; o País ainda trouxe um segundo bronze, para Ogilvy/Adidas.

Em Media Lions, foram duas pratas – VMLY&R (Santander) e Cheil São Paulo (Samsung) – e dois bronzes, para Soko/Guaraná Antarctica e Akqa (Deezer). Em Social & Influencer, foram dois bronzes: Africa (Movimento Go Equal) e FCB (Abraji). Em Creative Data, o País trouxe uma prata para a Akqa (Instituto Raoni) e, em Creative Strategy, a prata veio para Soko (Guaraná Antarctica).

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.