O propósito das marcas e dos conteúdos no segundo dia de palestras em Cannes

O propósito das marcas e dos conteúdos no segundo dia de palestras em Cannes

Fernando Scheller

18 de junho de 2019 | 03h13

Nesta terça-feira, 18, segundo dia do Cannes Lions – Festival Internacional de Criatividade de 2019, as marcas e os produtores de conteúdo sobem ao palco do Palácio dos Festivais para falar de propósito. No fim das contas, todo o trabalho ganha relevância quando consegue aliar a geração de negócios a um impacto positivo na sociedade. É esse o tom de algumas palestras do dia. Eis os nossos “top picks”:

Alfonso Cuarón: Oscar de melhor direção por “Roma” (Foto: Netflix)

1. Alfonso Cuarón & Participant Media (11h, Lumiére Theatre)

O diretor mexicano Alfonso Cuarón acabou de ganhar o Oscar por “Roma”, da Netflix, e sobe ao palco de Cannes para apoiar a Participant Media, produtora que tem conseguido aliar sucesso comercial e o debate de temas sociais, como a importância do jornalismo investigativo, o racismo e a preservação ambiental. Entre suas produções destacam-se, além de “Roma”, “Green Book”, “Spotlight” e “Uma Verdade Inconveniente”.

2. The Body Shop, uma marca com propósito (11h15, Audi A)

Desde que surgiu no Reino Unido, nos anos 1970, a The Body Shop sempre teve a preservação ambiental como um de seus pilares. Hoje, a marca faz parte do portfólio da brasileira Natura, exemplo de empresa de um país em desenvolvimento que tem a preocupação com a relevância social. A The Body Shop tem até uma executiva dedicada ao ativismo de marca, Jessie Macneil-Brown, que subirá ao palco ao lado da gigante Unilever para falar de propósito na relação com os clientes.

3. Dois mundos batem de frente: David Droga + Accenture (12h, Lumiére Theatre)

Um dos negócios mais comentados no mundo da comunicação nos últimos meses foi a compra da Droga5, agência independente do premiado David Droga, pela consultoria Accenture. As duas partes contam como está sendo a integração de uma agência com foco 100% na criação à uma gigante que tem foco nos negócios. O painel tem a mediação do “The Wall Street Journal”. Pode ser interessante, especialmente se realmente endereçar as dificuldades inerentes ao processo – e não ficar nos só nos elogios mútuos.

4. Mais e melhores conteúdos, com Warner Media (13h, Lumiére Theatre)

Executivo-chefe da Warner Media, Robert Greenblatt tem um desafio: lançar, até o fim do ano, o novo serviço de streaming da gigante que foi adquirida pela AT&T. Ele sobe ao palco ao lado de Laura Dern (uma das estrelas de “Big Little Lies”, atração da principal geradora de conteúdo da Warner atualmente, a HBO) para dizer como ampliar a quantidade de conteúdos produzidos sem perder o foco na qualidade, marca registrada da HBO.

5. O Google e um novo conceito de design (14h, Lumiére Theatre)

Ao investir mais pesadamente no segmento de aparelhos (telefones e produtos para a casa), o Google voltou ao básico. Contratou Ivy Ross, que tinha experiência no segmento de varejo, e buscou criar aparelhos que tenham custo competitivo e, ao mesmo tempo, sejam belas adições à decoração de uma residência. A executiva conta como montou uma equipe multidisciplinar e com um viés artístico para atingir o objetivo de negócios.

Tendências: