Revista ‘Mad’ demite quase toda equipe nos EUA e deixa de publicar material inédito

Revista ‘Mad’ demite quase toda equipe nos EUA e deixa de publicar material inédito

Fernando Scheller

04 de julho de 2019 | 10h05

A revista satírica Mad, que ao longo de 67 anos criticou com humor a economia, a política, as celebridades e o estilo de vida americano, deixará de existir a partir de agosto. Depois de demitir quase toda a sua equipe, a publicação passará apenas a “reciclar” seu arquivo de material antigo, com novas capas, começando em setembro.

A Mad ainda publicará material inédito em duas edições anuais, conforme artigo do The Hollywood Reporter. A editora DC ainda publicará coletâneas e livros satíricos, a serem vendidos em bancas de jornal.

Edição recente da revista ‘Mad’, com Donald Trump (Foto: Reprodução)

Criada em 1952 por um grupo de editores liderado por Harvey Kurtzman, a Mad começou como uma revista em quadrinhos antes de se tornar uma publicação de formato tradicional. Ela serviu de plataforma de início de carreira para vários comediantes e humoristas americanos, dando origem também a várias versões internacionais.

No Brasil, a Mad começou a ser publicada no início dos anos 1970, fase considerada sua “época de ouro”, passando por editoras como Vecchi, Record e Panini. A publicação foi editada de forma intermitente. Sua última versão circulou até 2017.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.